.>
27
setembro
2013
A natureza sabe contar?
postado sob cultura, matemática

Afinal, o que é a Proporção Áurea?

As flores, árvores, ondas, conchas, furacões, o rosto simétrico do ser humano e as proporções de seu corpo, tudo isso curiosamente obedece a uma equação de proporção comum, chamada de Razão Áurea. Os povos antigos já conheciam essa proporção, tanto que ela já se evidencia em antigas obras de arquitetura, como no Parthenon, na Grécia, e em pirâmides egípcias.

No século 13, Leonardo de Pisa (c. 1170 - c. 1250), conhecido como Fibonacci, observou a reprodução dos coelhos e formulou uma sequência de números que revelava essa proporção, formando a “espiral da vida”, que coincide com a organização das pétalas de rosa em crescimento, dos brotos em crescimento, das sementes do girassol, das ondas do mar, dos ciclones.

Albrecht Dürer (1471 - 1528), Leonardo da Vinci (1452 - 1519), Le Corbusier (1887 - 1965) e muitos outros criadores (artistas, arquitetos, designers) utilizaram essa proporção, também chamada de Proporção Divina, em suas criações.

Assista aos vídeos e veja como essa história é fascinante, um caso de amor à Matemática:

Sequência de Fibonacci e Número de Ouro

A Night of Numbers - Phi's The Limit

26
setembro
2013
Comemorando a chegada da Primavera
postado sob arte, cultura, Novidades

CORES LINDAS, TODAS AS CORES.

HOLI ou Festival das Cores é um festival realizado na Índia todos os anos, na chegada da Primavera. As pessoas comem, bebem, dançam e jogam tintas de diversas cores, uns nos outros.

No final, todos estão super  pintados e coloridos.

Com tambores, cantos, bailes e, principalmente, muitas cores, milhões de indianos de todas as idades vão às ruas para dar as boas-vindas à primavera, comemorando a chegada do bom tempo e afugentando os maus espíritos, travando uma intensa batalha de água e pós multi coloridos, exaltando uma rica mistura de cores e pessoas.

"É uma festa de felicidade e esperança perante a chegada da época da fertilidade", disse Rohan, um morador de Nova Déli que trazia o rosto pintado com tons de amarelo, verde, azul e vermelho.

O chamado festival da cor, que paralisa a Índia, e atrai, cada vez mais, turistas do mundo todo, é celebrado na primeira lua cheia de março, sendo que suas origens se remetem a diferentes lendas mitológicas dos hindus.

Este ano São Paulo vai comemorar a entrada da Primavera com uma referência a esse festival indiano, dia 28 de setembro, no Parque Villa Lobos.

VEJA MAIS

Programação em São Paulo

Notícia  

Fotos

10
setembro
2013
Descoberta de novo animal carnívoro: o olinguito!

Há cerca de uma década, o zoólogo Kristofer Helgen, do Instituto Smithsonian e curador do Museu de História Natural de Washington, descobriu por acaso ossos e peles dos animais em um museu em Chicago. Quando olhou o crânio, não reconheceu sua anatomia achando, então,  que poderia se tratar de uma espécie nova.

Por amostras de DNA, Helgen pôde, ao longo dos anos, confirmar a descoberta.
A partir das características do animal, os cientistas tentaram imaginar o tipo de floresta que ele habitaria. Em uma expedição à região entre Equador e Colômbia, ele foi avistado logo na primeira noite da expedição.

É a primeira espécie de animal carnívoro identificada nas Américas nos últimos 35 anos, tratando-se de uma descoberta extremamente rara.

Batizado de olinguito, o animal tem 35 centímetros de comprimento, é um carnívoro - portanto, do mesmo grupo de mamíferos que inclui gatos, cães, ursos e seus semelhantes e vive nas florestas na região entre a Colômbia e o Equador
"Muitos de nós achávamos que essa lista estava completa, mas eis que temos o primeiro carnívoro identificado no continente americano em mais de três décadas", celebrou Helgen.

Clique aqui e leia a matéria na integra.

9
setembro
2013
A vaca foi pro brejo

Imagens extraídas do Livro Pequeno Dicionário de Expressões Idiomáticas de Marcelo Zocchio e Everton Ballardin 


A vaca foi pro brejo???

Há muitas expressões cujo sentido não é ‘literal’. Os provérbios e os idiomatismos são os casos mais óbvios. ‘A vaca foi pro brejo’ não se aplica nem a vacas nem a brejos, e vale para numerosos eventos: o time perde, o político é cassado, o carro pifa, o aluno é reprovado, o professor se engana etc.

‘Filho de peixe peixinho é’ pode não ter nada a ver com peixes.

‘Matar a cobra e mostrar o pau’ significa ‘fazer algo e dar provas de que fez’, ‘defender uma posição e explicitar o argumento’, ‘alegar alguma tese e provar que é verdadeira’ etc. Mas já se disse que o ‘verdadeiro’ provérbio deveria ser ‘matar a cobra e mostrar a cobra’ (esta, sim, seria uma prova de que a cobra foi morta!), enquanto que ‘matar a cobra e mostrar o pau’ seria comportamento de gente falsa. 

O linguista Sírio Possenti, da Universidade Estadual de Campinas, diz que por trás da proposta de corrigir ditados está uma crença errada de que as palavras deveriam ter sempre sentido literal e referir-se ao mundo ‘real’. 

Segundo ele, os sentidos das palavras e das expressões são os que elas vão adquirindo ao longo do tempo. 

Muitas vezes, não há meio de saber como os sentidos surgiram, e muito menos como surgiram algumas expressões ou provérbios com seus diversos sentidos ou com suas diversas aplicações a contextos análogos.

Mas o melhor argumento contra a suposta necessidade de uma interpretação única e que seria ‘literal’ é dar-se conta de que dizemos ‘Ele vai de Piracicaba a S. Paulo’, ‘A Bandeirantes vai de Piracicaba a S. Paulo’ e também ‘O mandato vai de 2011 a 2014’.
Logo vai aparecer alguém que sustentará que devemos corrigir as duas últimas expressões, alegando que uma rodovia não vai. Menos ainda um mandato!

Mais informações e detalhes, clique aqui.

fechar