.>
17
abril
2014
Páscoa, coelhos, ovos…de onde vem tudo isso?
postado sob cultura, história

O Pessach, Páscoa Judaica, é uma das festas mais importantes do calendário
judaico. A palavra Pessach significa "passagem" e representa a travessia
pelo Mar Vermelho, quando o povo liderado por Moisés passou da escravidão no
Egito para a liberdade na Terra Prometida, há mais de 3.000 anos. 
“Para os cristãos, ela tem um sentido mais metafísico. Representa a passagem
de Cristo pela morte”, afirma o teólogo Fernando Altmeyer Júnior, da PUC de
São Paulo, referindo-se à tradição de que Jesus teria ressuscitado no
terceiro dia após sua crucificação. Assim, a comemoração representa a
ressurreição de Jesus Cristo, que foi crucificado na sexta- feira e teve sua
ressurreição no domingo.
Segundo Altmeyer, a Páscoa cristã recebeu o nome da comemoração judaica
porque a Paixão de Cristo aconteceu no início do Pessach. Já a cerimônia
cristã conhecida como Última Ceia teria sido um Seder, o tradicional jantar
realizado na véspera do início da Páscoa judaica.
A Páscoa judaica dura 7 dias (em alguns lugares, 8 dias). Algumas famílias,
nesse período, limpam meticulosamente a casa, removendo todas as migalhas e
lembrando os judeus que deixaram o Egito às pressas e não tiveram sequer
tempo de esperar a massa do pão crescer: por isso se consome nessa época o
Matzá ou pão sem fermentação. A refeição de Pessach, que reúne toda a
família, é composta, ainda, de diversos pratos que simbolizam o êxodo do
Egito, através dos sabores: o amargor, o sal do suor etc.

A Páscoa cristã, no Brasil, segue hoje a tradição de presentear com ovos e
coelhos (principalmente de chocolate). É comum também que toda a família se
reúna em um grande almoço, já que todos teriam saído de restrições
alimentares e penitências por toda a Quaresma - quarenta dias, a partir da
Quarta-feira de Cinzas. Hoje em dia, na verdade, isso existe mais como
tradição, já que poucos seguem o período de restrição.

No entanto, apesar de receberem o mesmo nome, as duas celebrações, judaica e
cristã, têm significados distintos e não ocorrem necessariamente em datas
coincidentes. 
A Páscoa cristã é comemorada no primeiro domingo de lua cheia, depois do
equinócio de Primavera (de Outono, no Hemisfério Sul). Já as comemorações da
Páscoa judaica têm início na primeira lua cheia do mesmo equinócio. O início
do Pessach e a Páscoa cristã podem cair no mesmo dia, mas isso dificilmente
ocorre. 


SOBRE COELHINHOS E OVOS DE CHOCOLATE
O coelho da Páscoa tornou-se um forte símbolo da Páscoa cristã e, embora não
coloque ovos, pois é um mamífero, é acompanhado por ovos de chocolate. 
O coelho, aliás, é reconhecido como um agente de renovação por várias
culturas, como na tradição japonesa, em que está associado ao Ano Novo; na
Grécia, era associado à deusa Afrodite e presentear com um coelho era sinal
de amor, no séc. VI a.c.*. Essas associações referem-se claramente à
fertilidade, pois os coelhos reproduzem com muita velocidade.
O ovo, símbolo antigo de “vida nova” sempre foi associado a festas pagãs de
celebração da primavera.Do ponto de vista cristão, representa a
ressurreição. A decoração dos ovos aparece já no séc. 13 e uma das
explicações que se dá é que era proibido comer ovos na Quaresma, portanto as
pessoas os pintavam e decoravam, nos dias de penitência e jejum, para
comê-los na celebração da Páscoa. 
Na Rússia, ovos de joalheria passaram a ser produzidos por Peter Carl
Fabergé, a partir de uma encomenda, em 1885, pelo czar Alexandre III como um
presente de Páscoa para sua esposa Maria Feodorovna.1. Por fora, parecia um
simples ovo de ouro esmaltado, mas ao abri-lo, havia uma gema de ouro,
contendo uma galinha, que por sua vez continha um pingente de rubi e uma
réplica em diamante da coroa imperial. Esses ovos são verdadeiras relíquias
e foram produzidos até 1917, para os czares da Rússia. 
Os ovos de chocolate, mais populares, são resultado do desenvolvimento da
culinária e, antes disso, da descoberta do continente americano, já que, ao
entrarem em contato com os maias e astecas, os espanhóis foram responsáveis
pela divulgação do chocolate no Velho Mundo. Somente duzentos anos mais
tarde, os franceses tiveram a ideia de fabricar os primeiros ovos de
chocolate da História, que permanecem até hoje como o principal símbolo da
Páscoa.


referências:
http://super.abril.com.br/religiao/qual-relacao-pascoa-judaica-crista-444446.shtml
http://www.bbc.co.uk/print/schools/religion/judaism/passover.shtml
http://www.history.com/topics/holidays/easter-symbols
http://german.about.com/gi/o.htm?zi=1/XJ&zTi=1&sdn=german&cdn=education&tm=21&f=10&su=p284.13.342.ip_&tt=2&bt=0&bts=0&zu=http%3A//www.osterhasenmuseum.de/
http://german.about.com/od/holidaysfolkcustoms/a/German-Easter-Traditions.htm
http://www.bbc.co.uk/print/schools/religion/christianity/easter.shtml
http://www.brasilescola.com/pascoa/a-origem-ovo-pascoa.htm

* O Livro dos Símbolos - Reflexões sobre imagens arquetípicas, Editora Taschen GmbH, Colônia, Alemanha, 2010

fechar