.>
5
dezembro
2017
O Ítaca apoia exposição de cartazes sobre as questões dos refugiados
postado sob arte, cidadania, design, Ítaca
O juri presencial com os 10 cartazes selecionados

REFUGIADOS - liberdade de ir e vir é uma mostra dos cartazes selecionados pelo júri do concurso de 2017 da P4T, levantando a discussão sobre o direito dos imigrantes, refugiados. Segundo a própria organização, “no decorrer da história, imigrantes enriqueceram seus novos países com seu conhecimento, tradições e cultura. Todos os campos do conhecimento humano foram beneficiados por influências externas. Se continuarmos olhando apenas dentro de nossas fronteiras e nos fecharmos para os outros países, iremos retroceder e não avançar.”

Esssa mostra é muito relevante para o contexto brasileiro. De alguma maneira cada um de nós é um imigrante – com exceção dos indígenas – seja por imposição, como no caso dos escravos, por conveniência ou por necessidade. Essa referência deveria nos favorecer no exercício da tolerância, do acolhimento e da sabedoria em aprender com outras culturas, enriquecendo a nossa própria existência.

Histórico da mostra
A cada ano, a ONG Poster for Tomorrow, sediada em Paris, organiza um concurso mundial de cartazes sobre algum tema de direitos humanos. O objetivo é lançar o foco sobre questões de interesse para a paz e a igualdade entre os seres humanos. Hoje já conta com quase 7.000 inscritos em cada edição.

Um júri online faz a pré-seleção dos cartazes, provenientes de todos os continentes, e um júri presencial escolhe os 100 melhores e os 10 top, entre esses 100. A seleção final é exposta em diversos lugares do mundo, com inauguração preferencialmente no dia 10 de dezembro, data de aniversário da Declaração dos Direitos Humanos.

Este ano, os 10 top vão ser expostos em São Paulo, por enquanto na parte externa do muro da Unibes Cultural,que fica na entrada do metrô Sumaré e na parede externa da Casa do Povo, centro cultural.

O Colégio Ítaca colaborou para que este evento ocorresse e vai expor na escola os mesmos 10 cartazes em forma de bandeiras de tecido, em formato 50 X 70 cm.

Entre os 10 mais desta edição está o designer brasileiro Ricardo Garla.

Para mais informações sobre os projetos da P4T e galerias de outras edições, acesse http://www.posterfortomorrow.org/en/

 

 

30
novembro
2017
Lista completa de livros no terminal web e em um site de vendas
postado sob EF1, EF2, EM, Ítaca

A lista de livros do Ítaca para o ano de 2018 já está disponível no terminal web. Basta fazer o login no nosso site, com sua senha. Caso seja pai de aluno do Ítaca e não possua senha, peça a sua na secretaria.

Sse for de seu interesse, o site da Livro Fácil tem a lista completa para compra no link: http://www.livrofacil.net/colegio/291/itaca . Em "código fornecido pelo colégio", coloque: Itaca2018. Em seguida, selecione o ano a cursar, e a lista aparecerá, junto com as condições de desconto e pagamento.

21
novembro
2017
Astronomia no Expressão, Corpo e Cultura 2017 - Astrouvelotnomia
18
novembro
2017
O Expressão, Corpo e Cultura 2017 - o que é e como foi - fotos gerais

Para além dos jogos, da dança e dos movimentos, pensar o corpo como parte de uma cultura envolve aspectos como a inserção do indivíduo no meio em que vive; a influência exercida por esse ambiente em sua constituição física, emocional e mental; a percepção da diversidade; além do desenvolvimento de olhares críticos, frente, por exemplo, à obsessão contemporânea de buscar o corpo "perfeito". 

Expressão, Corpo & Cultura é, assim, um evento anual que busca atuar essencialmente com as linguagens corporais, entendendo o corpo como forma de expressão por meio da qual refletem-se traços de nossa e de variadas culturas. 

Para isso traz convidados que expressam sua arte por meio do corpo ou mostram outras formas de olhar para esse corpo. Nesse sentido, apresentações que envolvem danças, artes marciais, esportes e outras expressões dos saberes e atitudes corporais passam pelo nosso espaço nesse dia. Ainda como expressão, uma exposição de trabalhos dos alunos de EF2 e EM, em diversos formatos, completa o encontro de familiares, artistas, alunos e professores, agregando arte e diversidade a essa atitude frente ao corpo e à consciência que dele tomamos.

Foram muitas atividades, momentos e trabalhos expostos, que serão contemplados aos poucos em nossas galerias.

7
novembro
2017
EF1 faz Mostra de Artes na escola

Nos dias 31 de outubro e 1 de novembro, os trabalhos dos alunos do 1º, 2º e 3º anos foram expostos pelos corredores do colégio .

Pais e mães foram convidados a visitar a Mostra nos horários de entrada (entre 12h45 e 13h15) e saída (entre 17h30 e 18h30). Valeu a pena!

Os temas trabalhados nas aulas de Artes, com a profª Sandra, foram os seguintes:

1º ano
Conhecendo Tarsila do Amaral (tinta guache)
Conversando sobre a vida e a obra de Henry Matisse (aquarela)
Monocromia – tema livre (guache)
Trabalho tridimensional (argila e pintura guache)

1º ano A: Mundo dos Animais
1º ano J: Mar e Fundo do Mar
1º ano C: Monstros Marinhos

2º ano 
Conhecendo a vida e a obra de Van Gogh (tinta a guache)
Pesquisa de texturas (colagem)

Trabalho Tridimensional (2º D) – Mundo Encantado (argila e pintura guache)
Trabalho Tridimensional (2º L) – Zoológico Mágico (argila e pintura guache)

3º ano
Ilustração e História (baseado no livro “O trem da História”, de Katia Canton)
Autorretrato – Estudo de retrtatos de Giuseppe Arcimboldo
Conhecendo a vida e a obra de Lasar Segall
Floresta Crepuscular (tinta a guache)
Paisagem Brasileira (tinta a guache)

 

29
outubro
2017
Estudo do meio 6º ano 2017 – São Luiz do Paraitinga
postado sob EF1, estudo do meio, Ítaca

O estudo do meio dos alunos do 6º ano, realizado entre os dias 18 e 20 de outubro, para São Luiz do Paraitinga, envolveu história, lazer e muito aprendizado, além de momentos inesquecíveis, regados a folclore, contação de histórias e festa popular. Conhecer a cidade é reencontrar uma parte da vida da região, valorizada pelos moradores locais. Conversar, ouvir causos, caminhar tranquilamente, conhecer uma fazenda colonial, aprender a fazer paçoca, praticar a dança Moçambique e observar a arquitetura da cidade ajudam na preservação da memória e na recuperação do patrimônio, processo que se evidencia na restauração dos prédios e das fachadas. 

Aliado ao projeto desenvolvido na cidade, a visita ao Núcleo Santa Virgínia do Parque Estadual da Serra do Mar compreende os estudos de ciências e biologia, com ampla amostragem de Mata Atlântica, numa área belíssima do maior parque desse bioma no Brasil, com direito a trilha e banho em duas lindas cachoeiras.

Acompanhados das professoras Lívia e Luana, e sob supervisão da Uggi – Educação Ambiental, nesses três dias, nossos alunos aprenderam muito, mas aproveitaram ainda mais! 

 

3
outubro
2017
9º EF faz viagem de estudo a Minas Gerais

As chamadas cidades “históricas” mineiras são marcos de desenvolvimento de sua época, pois o ouro e o diamante alavancaram a prosperidade das artes tanto quanto a qualidade de vida. 

Manifestações artísticas na escultura e pintura são marcos do Barroco mineiro e posteriormente do Rococó.  Grandes artistas e seus discípulos nos legaram seus trabalhos através de obras extensas que encantam por sua expressão e qualidade. O estilo das artes mineiras é próprio e não uma simples cópia de seus predecessores do velho mundo. 

Os literatos mineiros souberam contar sua sociedade e seus costumes sob as rígidas regras do estilo barroco e, mais tarde, como neoclássicos, “habitaram a Arcádia” com seus poemas campestres e prazerosos. O Barroco mineiro é, assim, uma vasta realidade a ser constatada através da interligação de disciplinas como Artes, Geografia, História e Português. 

Em contraste com esse universo, Inhotim se insere como um templo da arte contemporânea no país, encravado no coração do Barroco mineiro. 

Nesta viagem de estudo do meio de quatro dias, nossos alunos, guiados pela Uggi – Educação ambiental e acompanhados por professores do Ítaca, vivenciam essa junção de passado e futuro, num mergulho profundo em considerável parte da Cultura Brasileira, em localidades que estão além da história, uma vez que são consideradas centros culturais arquitetônicos de rara composição urbana e originalidade de projetos. 

As fotos desta matéria foram feitas pela Lara Gurianova de Araújo, aluna da turma.

 

25
setembro
2017
V FÓRUM  ÍTACA: Inquietações sobre o Vale do Ribeira
postado sob EM, estudo do meio, Ítaca

O 1º ano do Ensino Médio visitou recentemente, no Vale do Ribeira (SP), uma mina de extração de minério e produção de fertilizantes, um quilombo e o Bairro da Serra e cavernas do Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira (PETAR). 

O olhar em um cotidiano diferente, nas gentes, na natureza, nas ocupações de um Brasil tão diverso causou deslumbramentos; percepções, olhares críticos, inquietações ... e as lentes das câmeras foram revelando incômodos.

"Inquietações" é o projeto multidisciplinar que tem como ponto de partida questionamentos dos alunos, a partir da escolha de uma das muitas fotografias tiradas por eles, dentre as muitas da viagem. 

Um Fórum com todos os alunos do EM pôs na roda esses incômodos e discutiu causas, consequências, possíveis intervenções e soluções.
Para fechar o Forum, os alunos reapresentaram a peça Saltimbancos, que foi adaptada e encenada para a comunidade quilombola e para os alunos da escola EMEF Nascimento Sátivio da Silva, em Iporanga.

Inquietações - 1º Ano  Ensino Médio 2017
Professores: Arthur Medeiros (Geografia), Lucia Bon (Biologia), Cecília Jorquera (História), Renato Izabela (História da Arte), João Homero do Amaral (Química) e José Bento Neto (Língua Portuguesa).

16
setembro
2017
A difícil escolha da carreira profissional
postado sob EM, Ítaca, vestibular

OU ISTO OU AQUILO...

        Ou isto ou aquilo: ou isto ou aquilo . . .

e vivo escolhendo o dia inteiro!

                                           Cecília Meireles

 

Escolher não é fácil. Porque pressupõe perda ou perdas: escolher é ter, mas é também deixar de ter. E multiplicam-se as angústias no caso de uma carreira, uma profissão, um “vou ser quando crescer”: tudo tão definitivo, tão carregado de valores e de expectativas, especialmente familiares... Não é fácil: escolho com o coração ou com a cabeça; faço aquilo de que gosto ou vou ganhar bastante dinheiro (nem sempre esses dois caminhos se cruzam...); mantenho a tradição familiar ou rompo com tudo; esta ou aquela faculdade... Questões e mais questões, em um ano escolar já marcado normalmente pelas não poucas exigências dos exames vestibulares.

Como ajudar, sem ser invasivo, sem ser impositivo? Pra começar, isso não se faz de repente, na hora de se inscrever no vestibular apenas (mas também não é algo que deva habitar o universo de crianças desde sempre – a não ser, é claro, nas brincadeiras e sonhos, sem peso). Ouvir é essencial, e ouvir muitas vezes (daí que é preciso tempo...). Também oferecer horizontes e possibilidades, conhecimentos, perspectivas. Auxiliar na formulação de perguntas que o adolescente deve fazer a si mesmo; ajudá-lo a saber de si, suas dores e delícias, seus limites e desejos. Orientar na busca de informações objetivas, como cursos, grades curriculares, ocupações possíveis, mercado de trabalho. Se possível, ajudá-lo no encontro de profissionais da área, para que veja a realidade da profissão e seu dia a dia.

No Ítaca, esse processo se dá no Ensino Médio, e se acentua no 3º ano, em um apoio traduzido nas várias ações descritas acima, a partir de solicitações dos próprios alunos. Mas o que vale muito para que se efetive a ajuda é o contato próximo, um convívio real e atento com esse aluno, acompanhando-se genuinamente seu amadurecimento durante anos. Importar-se com; não apenas oferecer informações. Assim, a escola pode complementar o trabalho das famílias, nessa hora de escolhas e dúvidas e perdas e ganhos.
Assim, uma das etapas desse percurso, aqui no colégio, é o Qual é a sua?

Um encontro com as profissões

O evento ocorre normalmente na última semana de aula, em junho, e a escolha das profissões a cada ano é prerrogativa do 3º ano, mas todas as turmas EM participam: profissionais e professores universitários conversam com os grupos inscritos e a proposta é que cada um conte um pouco de suas trajetórias acadêmica e pessoal, das escolhas, das possibilidades de trabalho e remunerações no mercado, dos descaminhos e dificuldades, dos prazeres e conquistas. Além disso, muitas vezes, o profissional convida os interessados a conhecerem seu local de trabalho e um dia de sua rotina, por exemplo.

Longe de ser uma “orientação profissional” a ideia é que as conversas reflitam a diversidade das experiências, destacando os percalços, os desencontros e reencontros que podem surgir em cada projeto de vida.

Entendendo que o momento da opção profissional é recheado de incertezas e pressões, o Qual é a sua? (ao lado de várias conversas individuais entre a Coordenação EM e os alunos) tem a intenção de fornecer o máximo de elementos para que cada aluno consiga escolher seus próprios caminhos, ajustando os ponteiros de seus anseios pessoais com os das possibilidades e necessidades que a sociedade apresenta.

14
setembro
2017
Manhã Musical das alunas e dos alunos do EF1
postado sob EF1, evento, Ítaca

Dia 2 de setembro, sábado, tivemos mais uma edição da Manhã Musical.

Sob muitos aspectos, é um dos eventos mais divertidos e mais criativos da escola por um motivo simples: crianças livres mostrando habilidades artísticas.

Apresentações nos mais diferentes formatos, feitas por crianças entre 6 e 11 anos.

Declamação de poesias, contação de piadas, relatos de histórias e apresentações de ginástica, danças e músicas.

Nas músicas, crianças cantando e tocando (violão, flauta, pandeiro, teclado, violino).

Nas cantorias, da mpb ao mais radical rap.

Crianças sozinhas, crianças com pais, crianças com mães, crianças com irmãos ou irmãs, crianças com madrinhas ou tias, crianças com amigos, crianças com outras crianças.

Foram 4 horas de muita alegria e diversão.

4
setembro
2017
PROJETO “UNA CUCHARADA, POR FAVOR!”
postado sob EF2, Idiomas, Ítaca

Em Língua Espanhola, o assunto dos trabalhos deste bimestre deu água na boca e foi além da degustação. Nesta semana, os alunos do 8º ano apresentaram seminários sobre as comidas, bebidas e sobremesas mais comuns dos países hispanos.

Cada grupo apresentou uma breve mostra dos pratos mais populares em países como Argentina, Colômbia, Cuba, Espanha, Peru, México e Uruguai.  O trabalho era composto pela história e o processo de feitura das comidas latinas.

Os grupos levaram os pratos mencionados nas apresentações e ao final todos foram provados. E aprovados!

É muito importante realizar atividades que provoquem o estímulo à cultura e à oralidade de uma forma mais contextual e interessante para o aluno, além de promover a interação do coletivo.

Tivemos doces, guacamole, burritos, empanadas, churros e outras maravilhas.

¡Muy exquisito!

 

7
agosto
2017
Bichos do Brasil no muro da escola
postado sob arte, Ítaca, meio ambiente
Esboços de base para a pintura
Esboços de base para a pintura
Esboços de base para a pintura
O muro pintado
O muro pintado
O muro pintado
Esboço de base para a pintura
Ficha técnica criada pela artista
Ficha técnica criada pela artista
Ficha técnica criada pela artista
Ficha técnica criada pela artista

Você viu a nova pintura do muro do Ítaca?

Trata-se da série Bichos do Brasil, pintada pela artista plástica Walkiria Barone.

Walkiria é formada pela FAAP e coordena projetos para crianças. Ela também pinta muros em parques e em estações de metrô, como obras temporárias ou permanentes. Entra suas obras públicas está o muro externo das estações Cidade Jardim e Villa-Lobos, da CPTM. Além disso, a coleção de bichos brasileiros já foi exposta em metrôs como a Estação 165,em Nova York, e em São Paulo, nas estações Trianon-Masp, São Bento, Faria Lima, Fradique Coutinho e Paulista.

A série Bichos do Brasil é o resultado da admiração da artista pelos animais e pela arte. Com o intuito de despertar a consciência para a preservação das espécies nativas, principalmente as que estão em extinção, Walkiria busca lugares públicos para expor suas pinturas.

5
abril
2017
Comemoramos 27 anos, festejando a memória arqueológica do Brasil
reprodução: Fundham
reprodução: Fundham
reprodução: Fundham
reprodução: Fundham
uma das inscrições rupestres mais conhecidas da Serra da Capivara

Como brinde de comemoração dos 27 anos do Ítaca, produzimos um lápis com desenhos baseados em alguns dos registros rupestres encontrados no Parque Nacional da Serra da Capivara, no Estado do Piauí. Esse parque tem uma história encantadora. Vale a pena conhecer e, quando possível, visitá-lo.

História do Parque Nacional da Serra da Capivara
Desde o início da década de 1970, um grupo de arqueólogos, sob a direção de Niède Guidon, realizava pesquisas na região com financiamento da França.

A partir de 1978, essas pesquisas passaram a ser interdisciplinares, com a participação, além das instituições francesas que faziam parte da Mission Archéologique du Piauí, de pesquisadores da Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ), Universidade de São Paulo (USP), Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e Universidade Federal do Piauí (UFPI).
Em 1986, esse grupo de pesquisadores criou a Fundação Museu do Homem Americano (FUMDHAM). 

Em 1991, a UNESCO inscreveu o Parque Nacional Serra da Capivara na lista do Patrimônio Mundial, a título Cultural, em razão da importância dos registros rupestres existentes nos seus sítios arqueológicos. A FUMDHAM aceitou a responsabilidade de preservar esse patrimônio.

A FUNDHAM, declarada de interesse público pelo governo brasileiro, reúne na atualidade uma série de atividades científicas e culturais, no âmbito das ciências humanas, biológicas e da terra, mas também realiza atividades em benefício da sociedade.

Museu do Homem Americano
Situado na sede da FUMDHAM, o Museu do Homem Americano foi criado com o objetivo de divulgar a importância do patrimônio cultural deixado pelos povos pré-históricos. O Museu procura mostrar ao público os resultados mais recentes das pesquisas, sendo realizadas, portanto, atualizações regulares, tanto na exposição permanente quanto nas temporárias.

Visitação
O Parque Nacional Serra da Capivara está aberto à visitação e conta com guaritas para a recepção dos turistas, estradas, Centro de Visitantes, trilhas, escadarias e passarelas que permitem o passeio com segurança. Mas, para conhecer o Parque, é preciso estar acompanhado de um condutor de turismo.

Sítios arqueológicos
Os registros rupestres, pintados ou gravados sobre as paredes rochosas, são formas gráficas de comunicação utilizadas pelos grupos pré-históricos que habitaram a região do Parque. As representações gráficas abordam uma grande variedade de formas, cores e temas. Foram pintadas cenas de caça, sexo, guerra e diversos aspectos da vida cotidiana e do universo simbólico dos seus autores. O estudo desses registros possibilita o reconhecimento de temas recorrentes e a identificação de diferentes maneiras de representá-los. Pode-se dizer, ainda, que são pistas da forma de vida dessas populações.

Do conjunto de 1.354 sítios arqueológicos cadastrados, 183 estão preparados para a visitação turística, sendo 17 deles acessíveis a pessoas com dificuldades de locomoção. Pela quantidade e variedade dos sítios, os roteiros de visitação devem ser estabelecidos com os condutores de turismo a partir do perfil do visitante e do seu tempo disponível. Há, no entanto, algumas sugestões de roteiros preestabelecidos.

Belezas naturais
O Parque é formado por um conjunto de quatro Serras – Serra da Capivara, Serra Branca, Serra Talhada e Serra Vermelha – que apresentam diferentes ambientes e paisagens onde também se pode contemplar os monumentos geológicos, a fauna e a flora da caatinga.

Visite a página da Fundação Museu do Homem Americano:
http://www.fumdham.org.br

28
outubro
2016
O Ítaca tem 100% dos professores com formação específica

O Ítaca está entre as 32 escolas brasileiras que têm todas as disciplinas ministradas por professores com formação específica na área em que lecionam. Esses são dados de uma avaliação do Ensino Médio de 14.998 escolas pelo Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), em 2015. No total, são 25 privadas e sete públicas.
Isso significa 0,21% das instituições analisadas, a partir de dados coletados no Enem do ano passado. 

No Ítaca, soma-se a isso o fato de que a massiva maioria dos professores têm títulos (ou estão em curso) de Mestrado, Doutorado ou Pós-doutorado, em suas áreas de estudo.

Logo abaixo nessa avaliação, o índice de professores formados em suas áreas é de 80%, numa grande diferença em relação às anteriores.
 
João Cardoso Palma Filho, professor da Unesp (Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho) e membro do Conselho Estadual de Educação de São Paulo, reforça que há uma forte correlação entre a formação adequada do professor e o desempenho dos alunos. "Esse não é o único fator, mas é determinante. O professor é peça-chave. Apesar de todos os recursos que se têm na escola, de tecnologias a bibliotecas, se você não tem um bom professor, a coisa não anda", diz.
Para ele, os dados divulgados pelo Inep explicitam uma situação cotidiana nas escolas públicas: a falta de professores. "Nesse sistema, para se ter professores, o nível de exigência acaba sendo diminuído. Por outro lado, o professor que precisa ganhar um salário aceita dar aulas sobre um conteúdo para o qual ele não foi licenciado."
 
Veja quais são as escolas  a média geral no Enem das 32 escolas que têm todas disciplinas ministradas por professores com formação específica
 
1º - OBJETIVO COLÉGIO INTEGRADO (São Paulo/SP)
Média: 751,29
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Total de alunos: 41/ Alunos participantes: 41
Índice de permanência: De 60% a 80%
2º - ETAPA III COLEGIO (São Paulo/SP)
Média: 736,34
Rede: Privada
NSE*: Sem informação
Total de alunos: 35/ Alunos participantes: 32
Índice de permanência: Menos de 20%
3º - ESCOLA PARQUE - BARRA (Rio de Janeiro/RJ)
Média: 648,23
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Total de alunos: 68/ Alunos participantes: 64
Índice de permanência: 80% ou mais
4º - SANTA CLARA COLÉGIO (São Paulo/SP)
Média: 629,88
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Total de alunos: 74/ Alunos participantes: 71
Índice de permanência: 80% ou mais
5º - ITACA COLÉGIO (São Paulo/SP)
Média: 622,05
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Total de alunos: 24/ Alunos participantes: 23
Índice de permanência: 80% ou mais
6º - OBJETIVO CENTRO INTERESCOLAR UNIDADE POMPEIA (São Paulo/SP)
Média: 616,06
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Total de alunos: 94/ Alunos participantes: 81
Índice de permanência: De 60% a 80%
7º - RAINHA DA PAZ COLEGIO EIFM (São Paulo/SP)
Média: 613,32
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Total de alunos: 72/ Alunos participantes: 65
Índice de permanência: 80% ou mais
8º - COLEGIO CURSO INTELLECTUS - UNIDADE MEIER (Rio de Janeiro/RJ)
Média: 603,97
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Total de alunos: 49/ Alunos participantes: 47
Índice de permanência: De 60% a 80%
9º - INTERESCOLAR OBJETIVO UNIDADE GRANJA VIANA CENTRO (Cotia/SP)
Média: 603,03
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Total de alunos: 58/ Alunos participantes: 42
Índice de permanência: De 60% a 80%
10º - OBJETIVO CENTRO INTERESCOLAR UNIDADE VERGUEIRO (São Paulo/SP)
Média: 594,98
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Total de alunos: 104/ Alunos participantes: 77
Índice de permanência: De 60% a 80%
11º - OBJETIVO COLÉGIO I UNIDADE PINHEIROS (São Paulo/SP)
Média: 593,09
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Total de alunos: 56/ Alunos participantes: 41
Índice de permanência: De 40% a 60%
12º - COLÉGIO CURSO INTELLECTUS - UNIDADE OCEANICA (Niterói/RJ)
Média: 575,12
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Total de alunos: 82/ Alunos participantes: 78
Índice de permanência: De 60% a 80%
13º - ESCOLA SESI HANS SCHLACHER DE ENSINO MÉDIO (Sabará/MG)
Média: 564,33
Rede: Privada
NSE*: Alto
Total de alunos: 31/ Alunos participantes: 29
Índice de permanência: 80% ou mais
14º - SAO JOSE ESCOLA SALESIANA (Campinas/SP)
Média: 563,12
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Total de alunos: 60/ Alunos participantes: 55
Índice de permanência: 80% ou mais
15º - SOC EDUC A PASSOS COL MONTEIRO PASSOS (Rio de Janeiro/RJ)
Média: 558,20
Rede: Privada
NSE*: Alto
Total de alunos: 47/ Alunos participantes: 37
Índice de permanência: Menos de 20%
16º - COLÉGIO E CURSO INTELLECTUS - UNIDADE TIJUCA (Rio de Janeiro/RJ)
Média: 556,18
Rede: Privada
NSE*: Muito alto
Total de alunos: 43/ Alunos participantes: 41
Índice de permanência: De 20% a 40%
17º - SESI COLÉGIO ENSINO MÉDIO (Foz do Iguaçu/PR)
Média: 544,13
Rede: Privada
NSE*: Alto
Total de alunos: 46/ Alunos participantes: 38
Índice de permanência: De 60% a 80%
18º - SESI 126 CENTRO EDUCACIONAL (Sorocaba/SP)
Média: 535,32
Rede: Privada
NSE*: Alto
Total de alunos: 29/ Alunos participantes: 25
Índice de permanência: 80% ou mais
19º - SESI 021 CENTRO EDUCACIONAL (Jundiaí/SP)
Média: 534,50
Rede: Privada
NSE*: Alto
Total de alunos: 57/ Alunos participantes: 43
Índice de permanência: De 40% a 60%
20º - NOROESTE C ED EM (Paranavaí/PR)
Média: 534,02
Rede: Privada
NSE*: Alto
Total de alunos: 100/ Alunos participantes: 80
Índice de permanência: De 60% a 80%
21º - COL JEAN PIAGET (São Gonçalo/RJ)
Média: 533,85
Rede: Privada
NSE*: Médio alto
Total de alunos: 43/ Alunos participantes: 35
Índice de permanência: Menos de 20%
22º - MARCO A PIMENTA C E EF M (MaringáPR)
Média: 526,09
Rede: Estadual
NSE*: Alto
Total de alunos: 30/ Alunos participantes: 20
Índice de permanência: 80% ou mais
23º - SESI 156 CENTRO EDUCACIONAL (São João da Boa Vista/SP)
Média: 524,08
Rede: Privada
NSE*: Alto
Total de alunos: 30/ Alunos participantes: 27
Índice de permanência: 80% ou mais
24º - COLÉGIO DOM BOSCO FAZENDA RIO GRANDE (Fazenda Rio Grande/PR)
Média: 523,78
Rede: Privada
NSE*: Alto
Total de alunos: 19/ Alunos participantes: 13
Índice de permanência: De 60% a 80%
25º - ESCOLA DE EDUCAÇÃO BÁSICA E PROFISSIONAL FUNDAÇÃO BRADESCO (Maceió/AL)
Média: 523,44
Rede: Privada
NSE*: Médio alto
Total de alunos: 65/ Alunos participantes: 63
Índice de permanência: 80% ou mais
26º - IEC-UNIDADE INDUSTRIAL (Contagem/MG)
Média: 512,85
Rede: Municipal
NSE*: Médio
Total de alunos: 56 / Alunos participantes: 46
Índice de permanência: De 20% a 40%
27º - ESC INSTITUTO SÃO JOSE (Rio Branco/AC)
Média: 510,57
Rede: Estadual
NSE*: Alto
Total de alunos: 131/ Alunos participantes: 125
Índice de permanência: 80% ou mais
28º - CECILIA MEIRELES C E EF M (Ubiratã/PR)
Média: 508,46
Rede: Estadual
NSE*: Médio alto
Total de alunos: 34/ Alunos participantes: 31
Índice de permanência: 80% ou mais
29º - GERALDO FERNANDES C E D EF M (Cambé/PR)
Média: 504,79
Rede: Estadual
NSE*: Médio alto
Total de alunos: 26/ Alunos participantes: 14
Índice de permanência: 80% ou mais
30º - ESC EDUC BAS E PROFISSIONAL GOV JANARY G NUNES (Santana/AP)
Média: 499,66
Rede: Privada
NSE*: Médio
Total de alunos: 79/ Alunos participantes: 71
Índice de permanência: 80% ou mais
31º - EE VILA BRASIL (Fátima do Sul/MG)
Média: 480,50
Rede: Estadual
NSE*: Médio alto
Total de alunos: 16/ Alunos participantes: 11
Índice de permanência: De 60% a 80%
32º - CED 04 DO GUARA (Brasília/DF)
Média: 477,94
Rede: Estadual
NSE*: Médio
Total de alunos: 127/ Alunos participantes: 87
Índice de permanência: De 60% a 80%
 
*A sigla NSE representa o nível socioeconômico dos estudantes. O cálculo desse indicador foi feito a partir das informações fornecidas pelos próprios alunos.
 
Leia a matéria completa, no UOL:
http://educacao.uol.com.br/noticias/2016/10/04/so-32-escolas-no-brasil-tem-todos-os-professores-com-formacao-adequada.htm
 
Matérias correlatas:
http://agenciabrasil.ebc.com.br/educacao/noticia/2016-10/matematica-publicas-com-melhor-desempenho-tem-professores-com-melhor
http://www.contratandoprofessores.com/2016/10/no-brasil-27-das-escolas-tem-menos-da.html

26
outubro
2016
Aconteceu no dia 08 de outubro: EXPRESSÃO, CORPO E CULTURA
postado sob cultura, educação, Ítaca

O que é:
Encontro anual de alunos, pais e professores do EF2 e EM, em que se privilegiam a expressão artística, corporal e esportiva, da nossa e das mais diversas culturas. Um happening cultural, corporal e esportivo.

Os objetivos
1) a expressão em linguagens diversas, como desenho, pintura, fotografia, poesia, teatro, dança, artes do corpo, jogos...
2) a compreensão do corpo como forma de expressão por meio da qual refletem-se traços de nossa cultura. 
3) a mescla, nessas expressões, de culturas diversas, em apresentações de danças como a grega e a  indiana; aulas abertas como as de tai-chi-chuan e a de hip hop; apresentações como a de gaita de fole escocesa e a de maracatu...entre muitas e muitas mais...
4) a valorização e a divulgação das expressões culturais dos mais diversos grupos humanos.
5) a apresentação de obras de alunos produzidas durante o ano letivo ou realizadas durante o próprio evento...

Em 2016
No dia 8 de outubro, teve a seguinte programação:
Jogo de futsal entre alunos e professores.
Feira de troca, com vistas a estimular o exercício da sustentabilidade.
- apresentação do Grupo de Capoeira Irmãos Guerreiro, de Mestre Marrom, com a participação de alunos.
Roda de Samba aberta ao público.
- Apresentação do Grupo de Teatro de alunos, sob a direção do diretor João Furtado, com o espetáculo Caleidoscópio Mambembe, uma releitura de peças clássicas como A Gaivota, de Anton Tchekov (Rússia, 1896), Woyzeck, de Georg Büchner (Alemanha, 1837), Sonhos de uma noite de verão, de William Shakespeare (Inglaterra, 1596) e A Cantora Careca, de Eugene Ionesco (França, 1950).
- Apresentação do Grupo Tamashii Taiko Falcão (Tambores do Japão, folclóricos), com o grupo Falcão Peregrino.
Exposição de obras diversas, de alunos do EF2 e EM.
Criação de grafite e pinturas a carvão, de alunos do EM.
Aula aberta de zumba, com a professora Regyna Rodrigues. 

Em 2017 vai ter mais!

 

 

10
maio
2016
Matisse inspira comunicação visual no Ítaca
postado sob arte, design, Ítaca
La Danse, uma das obras mais conhecidas de Matisse (1910)
Matisse já doente, trabalhando na cama

No começo do ano, os alunos, professores, pais e funcionários tiveram a surpresa de encontrar as novas classes do pátio, feitas em contêineres, envelopadas com imagens coloridas. A ideia foi de incorporar aquele espaço ao restante das reformas feitas na escola, com um ar mais agradável e compatível com a identidade do Ítaca.

O Estúdio Infinito, estúdio de comunicação visual e design gráfico que já faz há anos a comunicação visual do Colégio baseou-se nas colagens de Henri Matisse, criou imagens vetorizadas de alguns de seus recortes e recriou essas imagens digitalmente com distintas montagens e cores.  As composições se pautaram por representar, em faces diferentes das salas, a terra, o ar e a água. As impressões foram feitas em vinil adesivo e aplicadas sobre as faces. Veja as imagens abaixo.

 

o container antes do envelopamento
Em processo...
Desenho montado pelo Estúdio Infinito baseado em Matisse
Desenho montado pelo Estúdio Infinito baseado em Matisse
Mais uma face desenhada
idem
Como ficou o corredor entre os 2 contêineres
Desenho da água
Desenho do ar

 

Quem foi Henri Matisse 
Henri-Émile Benoît Matisse foi um pintor, escultor e artista gráfico francês, nascido em 1869. Formou-se em Direito, em 1887, mas não exerceu a função. Aos 22 anos, mudou-se para Paris para estudar arte e matriculou-se na Academie Julian, onde foi aluno de William-Adolphe Bouguereau, e depois no ateliê do pintor Gustave Moreau.

Depois de anos de estudos, de 1900 a 1905, participou da mostra Salão dos Independentes e Salão de Outono, em Paris, e integrou o grupo dos pintores chamados fauvistas (entre eles, André Derain, Maurice de Vlaminck, Raoul Dufy, Georges Braque, Henri Manguin, Albert Marquet, Jean Puy e Emile Othon Friesz).
O Fauvismo (do francês fauvisme, oriundo de les fauves, "as feras", como foram chamados seus pintores) foi uma escola que inovou na arte por não seguir os cânones impressionistas, utilizando cores vibrantes e livre tratamento da forma na representação do mundo, iniciando a redução da linguagem da pintura a seus meios de expressão essenciais: cor, forma e pincelada.  
Uma das obras mais conhecidas de Matisse desse período é a pintura “A Dança” (La danse).

Entre 1906 e 1912 empreendeu diversas viagens. Voltou da Argélia influenciado pelo uso decorativo da arte islâmica e introduziu o decorativismo na sua pintura. Viajou também para o Marrocos. 
A partir daí passou a ser um artista bastante divulgado e considerado e a influenciar a arte de seu tempo, com um estilo que se caracterizava pelo uso de cores em tonalidades fortes, mas ao mesmo tempo, combatida por uma parcela da burguesia francesa apreciadora de arte, que a consideravam como uma diluição da arte. Matisse criou um estilo simplificado em que o uso da cor chapada, sem nuances, é limitada pelo traço e desaparecem os volumes. 

Os "papiers collés” (papéis colados)
Em 1920 mudou-se para Nice, e passou a pintar quadros de grande riqueza cromática como na série das Odaliscas, em que aparecem mulheres semivestidas com roupas exóticas, em ambientes decorados, com flores. 
Em 1930 teve problemas de saúde, ficando proibido de usar tinta a óleo e passou a trabalhar com outros materiais como recortes de papel e carvão. Neste momento, seu trabalho torna-se cada vez gráfico.  Suas colagens, "papiers collés", ganham potência, como o que se vê nas ilustrações do livro Jazz (1947) e na série "Nu bleu" (1952), trabalhos que tornaram-se muito conhecidos.

A partir de 1941, vítima de câncer e depois de sofrer uma operação, passou depender de uma cadeira de rodas para se locomover.
Entre 1948 e 1951 dedicou-se ao projeto da capela do Rosário em Saint-Paul, perto de Vence, no sul da França, concebendo todos os detalhes, dos vitrais ao mobiliário. 
Com o agravamento de sua doença, vem a falecer em 3 de novembro de 1954, de ataque cardíaco, aos 84 anos de idade. 

Matisse tem exposição em Salvador
Coincidentemente, neste momento há uma exposição importante de Matisse no Brasil: “Henri Matisse – Jazz” chega a Salvador no dia 12 de maio de 2016, no Espaço Caixa Cultural Salvador, e fica até o dia 3 de julho, com acesso gratuito para todos os públicos. Serão exibidas 20 pranchas originais feitas especialmente para o livro Jazz, publicado em 1947.
A mostra expõe obras de arte do histórico livro Jazz, de Matisse, que foi veiculado em uma edição limitada, contendo reproduções de colagens coloridas, acompanhadas por pensamentos escritos do artista. 

Referências
http://www.henri-matisse.net
http://www.wikiart.org/en/henri-matisse/the-lute-1943
http://g1.globo.com/bahia/noticia/2016/05/mostra-cultural-exibe-colagens-do-artista-henri-matisse-em-salvador.html
http://educacao.uol.com.br/biografias/henri-matisse.htm
http://www.moma.org/collection/artists/3832

4
maio
2016
CALENDÁRIOS DO VESTIBULAR 2017 DEFINIDOS
postado sob Ítaca, vestibular

Em reunião, USP, Unesp, Unicamp, Unifesp, ITA, PUC-SP, PUC-Campinas, Mackenzie, Famerp e Famema definiram as datas dos seus Vestibulares 2017 de modo a evitar a coincidência de datas e permitir que os vestibulandos possam participar de mais de um processo seletivo.

Veja abaixo os calendários da Fuvest, Unicamp e Unesp

FUVEST
A primeira fase da Fuvest ficou marcada para o dia 27 de novembro, com inscrições a serem realizadas entre os dias 19 de agosto e 8 de setembro de 2016. A segunda fase acontecerá entre os dias 8 e 10 de janeiro de 2017.
CALENDÁRIO FUVEST
Início das inscrições -19 de agosto
Último dia das inscrições - 8 de setembro
Prova da primeira fase - 27 de novembro
Provas da segunda fase - 8 a 10 de janeiro de 2017
 

UNICAMP 
As inscrições para o vestibular 2017 da UNICAMP terão início dia 1º de agosto e deverão ser feitas até dia 1º de setembro. 
O valor da taxa de inscrição ainda não foi definido. 
A primeira fase será realizada dia 20 de novembro e a segunda fase acontecerá nos dias 15, 16 e 17 de janeiro de 2017. Antes da primeira fase, haverá provas de Habilidades Específicas para candidatos aos cursos de Música (no período de 2 a 9 de setembro – Etapa I). Para os demais cursos que exigem provas específicas (Arquitetura e Urbanismo, Artes Cênicas, Artes Visuais e Dança), as provas de Habilidades Específicas ocorrerão no período de 23 a 26 de janeiro de 2017. A primeira chamada será divulgada pela Comvest no dia 13 de fevereiro, para matrícula não presencial entre os dias 14 e 15 de fevereiro.
Isenções da Taxa de Inscrição
A Comissão Permanente para os Vestibulares da Unicamp (Comvest) recebe até o dia 23 de maio, os pedidos de isenção da taxa de inscrição do Vestibular Unicamp 2017As inscrições para pedir a isenção devem ser realizadas exclusivamente pela internetna página da Comvest (www.comvest.unicamp.br). Para finalizar o processo de inscrição, o candidato deve enviar a documentação necessária (descrita no Edital), pelo correio, para a Comvest até o dia 24 de maio. A falta de qualquer documento e/ou o envio após o prazo excluem o candidato do processo. Todas as informações estão disponíveis na página da Comvest na internet.
CALENDÁRIO UNICAMP
• Inscrições e Pagamento da Taxa de Inscrição - 1/8 a 1/9/2016 
• Provas de Habilidades Específicas de Música:
Etapa I – 2 a 9/9/2016
Etapa II – 9 a 10/10/2017
• 1ª fase - 20/11/2016
• 2ª fase - 15, 16 e 17/1/2017
• Provas de Habilidades Específicas - 23 a 26/1/2017
• Divulgação da 1ª chamada (para matrícula não presencial) - 13/2/2017
• Matrícula não presencial - 14 e 15/2/2017

 

UNESP  
O período de inscrições para a Universidade Estadual Paulista (Unesp) será de 12 de setembro a 10 de outubro. Antes deste período, a instituição divulgará as datas para pedidos de isenção e redução da taxa. 
O exame da primeira fase acontecerá no dia 13 de novembro, um domingo. Os candidatos habilitados e convocados para a segunda fase farão novas provas nos dias 18 e 19 de dezembro, um domingo e uma segunda. No ano passado, as provas foram aplicadas para 103.694 candidatos em 34 cidades, sendo 31 destas no Estado de São Paulo.
O resultado final da Unesp será divulgado em 3 de fevereiro de 2017. A Resolução deverá ser divulgada até julho, com todas as informações sobre cursos e vagas disponíveis para ingresso em 2017. Em 2016, a Unesp ofereceu 7.355 vagas em 176 cursos, disponíveis em 23 cidades. 
No Vestibular 2016, o Sistema de Reserva de Vagas para a Escola Básica Pública (SRVEBP) garantIu um mínimo de 35% das vagas de cada curso para alunos que tenham feito todo o ensino médio em escola pública. Isso ampliou a proporção destes alunos nos cursos da Unesp, que neste ano foi de 46,6% das vagas oferecidas.

 

11
março
2016
Sobre nossa saída para perceber a Terra: viagem do 1º EM rumo a Botucatu (SP)

"O que é uma fazenda?" nos perguntava o agricultor Paulo, da estância Demétria, em Botucatu. "Um pedaço de terra?" responderam... e se disséssemos ser  "um pedaço da Terra?" Há alguma diferença?

Entender-se como parte da Terra envolve um posicionamento ético que emerge não das especulações lógicas e racionais, mas da percepção do mundo através de um olhar qualitativo, integrador e holístico. Não é tarefa fácil.... Exige paciência, abertura, porosidade, atenção e muita observação para que algo comece a verter do fenômeno que está diante de nós, para que comecemos a "ler o livro aberto da natureza", como diria Goethe, até que ela a nós se revele, generosamente. Essa metodologia de investigação pode ser controversa, mas não há dúvidas de que seja um caminho bastante fértil para recuperarmos nossa capacidade de construir percepções do mundo (e não só repetir descobertas científicas que tornam o universo um conjunto de objetos a serem utilizados: nós separados do mundo que está a nosso serviço, ou lá, bem longe de minha realidade cotidiana).

Investigar a formação da Terra a partir de nossas observações - percebendo como uma massa rochosa é a cristalização de uma história de bilhões de anos, de movimentos, de feitos e efeitos, e que, ao percebê-lo, somos parte disso - é uma forma de buscarmos outras relações com a natureza, cujo ponto de partida é o próprio processo de percepção. As rochas deixam de ser paredes, calçadas, pias, pisos ou acidentes do relevo no meio das estradas... a fazenda deixa de ser um lugar para se plantar... São todos partes da Terra e nós, nela, ao começarmos a perceber aquilo que está para além do objeto, concreto em nossa frente, tornamo-nos responsáveis por vitalizá-la. 

É a partir do olhar que isso começa a acontecer. E não há momento escolar mais propício para isso do que um estudo de campo.

Saída envolvendo as disciplinas de Geografia, Biologia, História da Arte e Língua Portuguesa.

Texto: Professor Arthur Medeiros

7
janeiro
2016
A LISTA DE LIVROS DE 2016 ESTÁ DISPONÍVEL
postado sob Ítaca

Os pais já receberam a lista de livros para 2016 e podem adquirí-los em qualquer loja mas, se preferirem, podem encontrar a lista completa no link abaixo.

Livro Fácil

15
novembro
2015
OBA!!!!!!!
postado sob Ciências, Ítaca

Recebemos os resultados da OBA e novamente fomos muito bem, em nível nacional.
 
Todos os alunos receberam os seus certificados de participação, como de costume.
 
Os alunos que receberam medalhas da OBA, segundo ranking de notas por faixa de medalha estabelecido pela OBA, foram:
 
EF1: Pedro Siqueira Noventa – medalha de bronze
 
EF2:  Guilherme Bolzan –  medalha de ouro
          Pedro Croso – medalha de prata
          Bruno Croso – medalha de prata
          Sebastião Froes Navarro  – medalha de bronze
 
EM: Vitor Fuks –  medalha de prata
 
Super resultados!!!!!

Para saber mais sobra as Olimpíadas:
http://www.oba.org.br/site/index.php

31
agosto
2015
ENEM 2014
postado sob educação, Ítaca

A publicação, no início de agosto, dos resultados do ENEM-2014 mostra os alunos do Ítaca, novamente, com uma pontuação muito boa; confirmando a coerência e a solidez do nosso trabalho.

Agradecemos aos pais, aos professores e parabéns aos alunos – formandos de 2014.

Equipe do Ítaca

Acesso aos resultados: portal.inep.gov.br/web/enem/enem-por-escola

15
julho
2015
Iniciação científica?? Por que não?

Texto de Mercedes de Paula Ferreira (Direção Pedagógica EM)

Publicado no Blog do Estadão

Embora ainda bem longe de ser uma realidade abrangente ou satisfatória, temos muitos alunos do Ensino Médio no Brasil seguindo sua vida escolar em direção ao diploma universitário. E as escolas costumam apresentar como linha de frente de seu trabalho, nesse ciclo, a preocupação com o acesso à universidade…  muitas tendo como foco maior (às vezes, único) exatamente preparar o jovem para prestar os exames vestibulares. Isso é legítimo e necessário, mas podemos pensar um pouco adiante e buscar instrumentar também esse estudante para ainda além, quando já estiver, por exemplo, na nova vida universitária. E esse caminho, certamente, será um bom alicerce para o futuro próximo, mas ao mesmo tempo já fará diferença no seu presente.

Assim, habilitar o aluno para a próxima etapa da escolaridade não é aparelhá-lo para os exames de admissão somente, mas do mesmo modo para um bom desempenho na vida acadêmica que o espera (queremos que passe nos vestibulares e que também ultrapasse os vestíbulos…).

Na verdade, várias são as frentes em que podemos orientar e apoiar o jovem, nesse percurso de 3 anos: amplitude de conhecimentos, sem dúvida, nas mais diversas áreas e disciplinas (e a grade curricular das escolas contempla isso, normalmente); aprofundamento desses conhecimentos, de preferência aliando-se a busca e a pesquisa em fontes confiáveis com a discussão, a reflexão, a prática (muita leitura, nesse aspecto, é essencial, pra que não se fique no senso comum e na falsa ciência, travestida de grandes descobertas); capacidade de planejamento e organização; desenvolvimento da competência leitora e escritora para textos diversos, inclusive acadêmicos; iniciação à produção científica… e por aí vai. Competências e habilidades que ele, fatalmente, irá utilizar na escola média, na vida universitária e depois… Exercitar tais habilidades certamente o tornará também mais seguro.

Com vistas a isso, entre outras ações, o Colégio Ítaca propõe ao 2º ano EM um trabalho monográfico, aos moldes do que realmente se produzirá na universidade (lá sob a forma de monografias, TCCs e até dissertações de mestrado etc). Para isso, durante cerca de 7 meses, há uma sequência pedagógica que parte de conversas sobre monografias e seu propósito (na academia e no Colégio), passando pela escolha de  um tema e por um curso de elaboração de pré-projeto e projeto de monografia,  por aulas sobre a ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) e a formatação padrão desse trabalho acadêmico, assim como de sua estrutura macro e micro. Todo o processo e a avaliação final envolvem encontros regulares com o professor-orientador. E integram-se várias áreas do conhecimento que, muitas vezes, devem conversar entre si, para auxiliar o aluno. Após a entrega definitiva, muitos estudantes voluntariam-se para apresentar seu trabalho às turmas, mas não há bancas ou arguição ou algo do gênero.

No percurso, vemos nitidamente o aluno: desenvolver capacidade de organização (pensar a médio e longo prazo, fazer um projeto, elaborar e seguir um cronograma, dividir o trabalho em etapas distintas); caminhar sozinho e tomar decisões, do início ao fim, embora sempre com a orientação necessária; aprender rigorosamente as normas e convenções dos trabalhos acadêmicos; iniciar um projeto que pode vir a resultar em uma futura pesquisa e que, às vezes, também auxilia na escolha de carreira; perceber  a importância de trabalhar com áreas distintas, em intersecção; potencializar sua competência de escrita, de reflexão, de investigação; amadurecer como estudante (inclusive percebendo que tal empreitada não se faz de véspera…); tornar-se produtor de conhecimento. E por aí segue…

E, se essa não é a única das propostas do EM Ítaca, certamente é uma das mais enriquecedoras para o aluno. Os ganhos e o salto de qualidade acadêmica, de maturidade e de autonomia são motivos suficientes para validar todo o processo.

Porém tudo isso só terá sentido mesmo, se tal proposição tiver fundamento no interior do projeto pedagógico da escola, caso contrário virará apenas um incômodo (e enorme) apêndice na vida dos alunos… Ou seja, na verdade, em todas as direções, há que se pensar sempre também para além dos vestíbulos…

30
junho
2015
ou isto ou aquilo . . . e vivo escolhendo o dia inteiro! (Cecília Meireles)
postado sob educação, Ítaca

Texto de Mercedes Ferreira (Direção EM) e Maurício Carvalho (Geografia EM)
publicado no blog do Estadão

Escolher não é fácil. Porque pressupõe perda ou perdas: escolher é ter, mas é também deixar de ter. No caso, então, de uma carreira, uma profissão, um “vou ser, quando crescer” – tudo tão definitivo, tão carregado de valores e de expectativas, especialmente familiares -, multiplicam-se as angústias, o medo da escolha errada. Não é fácil: escolho com o coração ou com a cabeça; faço aquilo de que gosto ou vou ganhar bastante dinheiro (nem sempre esses dois caminhos se cruzam…); mantenho a tradição familiar ou rompo com tudo; esta ou aquela faculdade… Questões e mais questões, em um ano escolar já marcado normalmente pelas não poucas exigências dos exames vestibulares.

Como ajudar, sem ser invasivo, sem ser impositivo? Pra começar, isso não se faz de repente, na hora da inscrição no vestibular apenas (mas também não é algo que deva habitar o universo de crianças desde sempre – a não ser, é claro, nas brincadeiras e sonhos, sem peso). Ouvir é essencial, e ouvir muitas vezes (daí que é preciso tempo…). Também oferecer horizontes e possibilidades, conhecimentos, perspectivas. Auxiliar na formulação de perguntas que o adolescente deve fazer a si mesmo; ajudá-lo a saber de si, suas dores e delícias, seus limites e desejos. Orientar na busca de informações objetivas, como cursos, grades curriculares, ocupações possíveis, mercado de trabalho. Se possível, ajudá-lo no encontro de profissionais da área, para que veja a realidade da profissão e seu dia a dia.

No Ítaca, esse processo se dá no Ensino Médio, embora desde o início do 3º ano é que se acentue tal apoio, traduzido nas várias ações descritas acima, a partir de solicitações dos próprios alunos, mas também, e principalmente, de um contato próximo, de realmente conviver com esse aluno, acompanhando genuinamente seu amadurecimento durante anos. Importar-se com; não apenas oferecer informações. Assim, a escola pode complementar o trabalho das famílias, nessa hora de escolhas e dúvidas e perdas e ganhos.

Assim, uma das etapas desse percurso, aqui no colégio, é o Qual é a sua? Um encontro com as profissões.
O evento ocorre normalmente na última semana de aula, em junho, e a escolha das profissões a cada ano é prerrogativa do 3º EM, mas todas as turmas EM participam: profissionais e professores universitários conversam com os grupos inscritos e a proposta é que contem um pouco de suas trajetórias acadêmica e pessoal, das escolhas, das possibilidades de trabalho e remunerações no mercado, dos descaminhos e dificuldades, dos prazeres e conquistas. Muitas vezes, o profissional convida os alunos interessados a conhecerem seu local de trabalho e um dia de sua rotina, por exemplo.

Longe de ser uma “orientação profissional” a ideia é que as conversas reflitam a diversidade das experiências, destacando os percalços, os desencontros e reencontros que podem surgir em cada projeto de vida.

Entendendo que o momento da opção profissional é recheado de incertezas e pressões, o Qual é a sua? (ao lado de várias conversas individuais entre a Coordenação EM e os alunos) tem a intenção de fornecer o máximo de elementos para que cada aluno consiga escolher seus próprios caminhos, ajustando os ponteiros de seus anseios pessoais com os das possibilidades e necessidades que a sociedade apresenta.

 

2
junho
2015
Dentro e fora do museu
postado sob arte, cultura, Ítaca

Texto dos Professores Fernando Vidal (Filosofia EM) e Renato Izabela (História da Arte EM) publicado no blog do Estadão

Uma caminhada com os alunos do 3º ano EM pela bairro da Vila Madalena: primeiro, a exposição Imagine Brasil, no Instituto Tomie Ohtake; depois, os muros grafitados dos Becos do Batman e do Aprendiz. Um roteiro em que aspectos da arte contemporânea são vivenciados, dentro e fora do museu, em diálogo com as aulas de História da Arte.

Dentro do museu: exercitar o olhar, observar as múltiplas possibilidades de suportes como pinturas, esculturas, instalações, fotografias, vídeos, música, para assim entender melhor essas linguagens da contemporaneidade. Convenhamos que, às vezes, pela maneira intrincada como são abordadas, essas linguagens aparentam ser coisa de outro mundo, narrativas incompreensíveis. Para dissolver essa estranheza que bloqueia o pensamento e a percepção, só mesmo se abrindo com generosidade às propostas dos artistas. Nesse sentido, a exposição que visitamos nos pareceu um bom ponto de partida: Imagine Brasil é um amplo panorama da arte contemporânea brasileira, em que artistas jovens ‘convidam’ aqueles que consideram suas referências, e isso dá um pouco do tom da mostra – formas, procedimentos, temas – e dos rumos que a arte trilha entre nós, hoje. Inevitáveis, então, os questionamentos, ideias que nos fizessem matutar; além de uma oficina, que gerou trabalhos. Assim, constituindo uma experiência interessante e significativa em si mesma, essa proposta também complementa, por assim dizer,  seminários apresentados pelos alunos, em aula,  sobre temas da arte contemporânea.
Fora do museu: sentir a Arte de Rua ou “Arte Pública”, que traz uma linguagem ilustrativa, com uma narrativa que se aproxima de cartuns ou psicodelismos. Podemos, quem sabe, chamar essas intervenções de “tatuagens na cidade”.  Os alunos se sentem mais familiarizados com essa forma de arte, talvez por conta da linguagem carregada de símbolos do universo juvenil. E, o que também é mais comumente possível na rua,  encontramos ali um artista, o grafiteiro Boleta, que estava trabalhando e trocou algumas informações conosco sobre traço, tintas, spray etc.
De dentro pra fora (ou de fora pra dentro), o que muda e o que permanece? Não vamos forçar a mão, é claro, com formulações genéricas acerca da relação entre o espaço sacralizado e silencioso do museu e o espaço profano e barulhento da rua. Pelo que pudemos notar, os alunos perceberam fricções, atritos e convergências entre as formas de arte com que tomaram contato durante esse breve passeio. Assunto a ser retomado em sala de aula. Seja como for, essas vivências não são apenas um suporte didático; mais do que isso, são um tempo em que o acesso à produção cultural da cidade proporciona também um exercício coletivo da imaginação e do pensamento.

28
maio
2015
bonecos, poesias, pedrinhas, brinquedos, livros!
postado sob arte, Ítaca, Literatura

“Os brinquedos de sensações fazem parte da natureza humana. Já os brinquedos invisíveis são aqueles que estão diante dos nossos olhos, mas só encontramos com atenção e observação.”

Mãe de ex-alunos do Ítaca, a artista plástica e educadora paulistana Selma Maria Kuasne coleciona bonecos, poesias, pedrinhas e brinquedos -visíveis e invisíveis. Sua pesquisa sobre a cultura da infância longe dos centros urbanos chegou até o sertão de Minas Gerais, onde cresceu o escritor Guimarães Rosa (1908 - 1967), nas cidades de Codisburgo, Morro da Garça e Três Marias.

Selma Maria, é arte-educadora, escritora e artista plástica. Trabalha no educativo do Museu da Casa Brasileira, onde atua com várias instituições de ensino, entre elas a Fundação Casa.

Tem dez livros infanto-juvenis publicados no Brasil que ganharam editais federais PNBE, PNAIC  e estaduais PROAC.

Faz palestras, dá cursos sobre poesia e o brincar na infância de vários países.

Vejam entrevista e mais: 
http://mapadobrincar.folha.com.br/mestres/selmamaria/
http://www.bloguito.com.br/divertido-bate-papo-com-a-escritora-selma-maria
https://www.facebook.com/selmamariak

 

27
maio
2015
Quando lá não é tão diferente de cá…
postado sob cultura, história, Ítaca

Texto do Professor Cayo Candido Rosa (Estudos Áfricos EF2) publicado no blog do Estadão

Os olhares curiosos atravessavam os corredores: a mãe de uma aluna do sexto ano traria um conhecido para falar sobre sua cultura. A notícia já havia sido anunciada semanas antes, porém um feriado prolongado e a avalanche de tarefas acumuladas fizeram com que boa parte das crianças se esquecessem de que, naquela manhã de quinta-feira, horário reservado para as aulas de Estudos Áfricos, Timóteo Daco daria uma palestra sobre seu país de origem, Moçambique.

O despertar da memória se misturava ao despertar do interesse, à medida que os alunos pegavam cadernos, lápis e canetas multicoloridas, além de uma atividade já feita sobre o país africano. “Então foi por isso que fizemos a pesquisa sobre Moçambique?”.

Ainda que bem feita, a pesquisa fria, distanciada e, até mesmo, factual jamais substituiria o encontro com Timóteo, que falou de sua terra natal e de seu passado, suas línguas, seus ícones, símbolos culturais e identidades, sempre com muita saudade, palavra comum ao português falado tanto aqui quanto lá, além, é claro, de outras 41 línguas reconhecidas (e a linguagem de sinais) como o BiTonga e o EChuwabodialetos antes proibidos sob a obrigação da língua oficial do colonizador e agora aceitos e perpetuados.

Daco falou não só sobre figuras políticas do passado de Moçambique, mas também de personalidades artísticas como o recentemente falecido escultor Naftal Langa e o premiado escritor Mia Couto. Explicou sobre as diferenças das escolas no campo e na cidade, falou das belas cidades litorâneas, baseadas em turismo, destacou pratos da culinária típica moçambicana como o matapa, feito na folha de mandioca e acompanhado de molho à base de leite de coco e amendoim pilado, e contou a história da capulana, tecido de origem asiática muito usado em seu país como lenço para cobrir o cabelo, toalha de piquenique ou, até, como uma bolsa para carregar um bebê no colo ou nas costas.

Ao final, as questões  desprovidas de preconceito e recheadas de inocência deram a Timóteo mais uma oportunidade de mostrar para as crianças que Moçambique, como qualquer outro país, não é tão diferente assim do Brasil e que, como toda nação, é povoado de riquezas culturais, símbolos nacionais e, obviamente, contradições.

“Qual o seu esporte favorito?”

“Do que você sente falta?”

“Fale mais sobre a comida!”

“Como é a vida lá?”

A essas e a muitas outras perguntas ele respondeu com seu sotaque típico do “português de Portugal” – “Ora, depende… em geral as pessoas acordam, tomam café, vão ao trabalho ou à escola…” -, fazendo com que as crianças rissem em vários momentos, quando se identificavam com a mesma rotina nos dois países.

Fruto de um desejo de estudar de modo mais aprofundado a História e a Cultura afro-brasileiras, a disciplina Estudos Áfricos, incorporada ao currículo do Colégio Ítaca há quase dez anos, busca também desmistificar a ideia do continente africano como um bloco único, banhado de estereótipos e visões acríticas (a esse respeito ver Lei federal nº 10.639/03).

Atividades como a palestra de Timóteo Daco aproximam os alunos de uma realidade que já está muito mais próxima a eles do que imaginam, e a troca cultural – seja entre os dois países ou, mesmo, nesse breve encontro entre os alunos do sexto ano e um visitante moçambicano – enriquece o amadurecimento crítico de cada um, ao ver e compreender o outro em si mesmo.

“Do que você brincava quando era criança?” 

“Nadávamos num rio, sem medo, mesmo que cheio de crocodilos”, - respondeu Timóteo, sem especificar se brincava ou falava sério, deixando que os alunos levassem com eles o benefício da dúvida.

29
abril
2015
Chegou a hora da OBA 2015!
postado sob Ciências, física, Ítaca

Mais uma vez, com o objetivo de proporcionar ao aluno uma oportunidade de conhecer melhor o seu domínio de astronomia, nosso colégio fará parte dessa olimpíada. 

Lembrando que não é obrigatório se preparar previamente para prova. Caso o aluno queira, seguem algumas instruções em anexo. A OBA sugere 4 atividades práticas (a serem concluídas até a véspera da prova) e os conteúdos abordados nas provas (por nível). Qualquer dúvida entre em contato com seu professor de Ciências. 

A prova vai ocorrer dia 15/5, sexta-feira, na escola durante o horário normal de aulas. 

Participe! É uma excelente chance de fazer uma prova de forma mais descontraída e sem obrigações de notas!

Acesse o site aqui

FAÇA DOWNLOAD DAS INSTRUÇÕES:

1
abril
2015
É Ítaca o nosso lugar
postado sob Ítaca

Acima: fotos da festa de 25 anos, dia 14 de março de 2015

 

Chegar aos 25 anos é uma responsabilidade e tanto. Como um jovem que há pouco saiu da adolescência, atingir a fase adulta de vida e já vivido ter ¼ de século nos dá, primeiro, uma sensação de sucesso por alcançar uma marca muito desejada, mas também nos traz a lembrança de que o caminho até aqui foi longo e cheio de peripécias.

Peripécias. Caminho. Tempo. Três palavras muito citadas em sala de aula nesses dois primeiros meses letivos de 2015. 

No ano em que o Ítaca completa seu primeiro quarto de século, decidimos contar a nossos alunos a epopeia de Ulisses (ou Odisseu) para voltar a sua terra. O projeto, contudo, previa que essa narrativa não fosse entendida apenas como um mito grego, mas um enredo real, e que os personagens míticos se assemelhassem àqueles que fizeram parte da odisseia que foi construir a história da nossa escola.

Ulisses, ou Odisseu, é o protagonista da Odisseia, poema épico de Homero. Ele é o herói que teve de sair de sua pátria, Ítaca, onde era o rei poderoso, para guerrear em Troia, vencendo muitos troianos com uma ideia genial disfarçada de cavalo (mas essa é outra história!). Quando sua luta acabou, Odisseu pouco imaginava que sua epopeia estava apenas começando: ao ferir o ciclope e atiçar a fúria de Posseidon, teve a jornada de volta triplicada, e a ideia de retornar a Ítaca ficou cada vez mais distante.

Durante os dois primeiros meses de aula, os professores percorreram essa odisseia com nossos alunos e, mais do que isso, uniram-se na missão de fazê-los perceber que outra odisseia foi vivida há 25 anos. Tivemos heróis desbravadores, passamos por inúmeras peripécias, representadas pelos desafios vividos pelo caminho e, principalmente, vivemos, como Odisseu, uma utopia, a de fundar e estruturar o Ítaca (desta vez, o Colégio…).

No dia 12 de março, comemoramos a chegada de nossos odisseus a esta moderna ilha de Ítaca, e contemplamos, em um painel expositivo de fotografias criado pelos alunos do 6º ano, os heróis do dia a dia da escola: fundadoras, professores, funcionários administrativos, da limpeza, da segurança, da manutenção, o pessoal da cantina, enfim, todos os que enfrentam diariamente circes, polifemos e sereias, para que outros 25 anos possam vir, com a mesma leveza, alegria e compromisso vividos nestes primeiros que passaram.

Celebramos, no sábado, dia 14 de março, em alto estilo, com apresentações de blues e chorinho, show de mágica e exposições de trabalhos sobre o tema, com encontros e reencontros de alunos, pais e ex-alunos, mas especialmente, com a certeza de que, como o samba-enredo criado pelo 5º ano para o carnaval do colégio já disse: é Ítaca o nosso lugar. 

 

Texto de Yanaí Mendes, professora de Cinema e Informática do Ítaca

12
março
2015
HOJE FAZEMOS ANIVERSÁRIO.
SÁBADO, 14/03/2015, TEM COMEMORAÇÃO
postado sob Ítaca

VEJA A PROGRAMAÇÃO DO SÁBADO, 14/março:

O evento incluirá  apresentações para todos da comunidade Ítaca  (crianças, adolescentes e adultos).

• das 11h00 às 11h50 – espetáculo com o Mágico Ed.

• das 11h50 às 12h10 – apresentaçăo de chorinhos pelo músico Joăo Baptista Pires Neto (pai de alunas do Ítaca)

• das 12h10 às 13h  – show de blues com o grupo Marcio Pignatari e os Takeus.

9
janeiro
2015
A lista de livros para o ano de 2015 já está disponível!
postado sob Ítaca

Os livros para o ano de 2015 podem ser adquiridos em qualquer livraria mas, se você preferir, o Ítaca fez parceria com as duas livrarias abaixo, que dispõem da lista completa.

Livro Fácil
Livraria Cultura 

 

 

31
dezembro
2014
Aos pais, alunos e professores do Ítaca
postado sob Ítaca

Saiu o resultado das provas do ENEM, relativas a 2013. E, mais uma vez, o desempenho dos nossos alunos foi muito bom.

As pontuações de nossas turmas, nesses anos todos de Enem, têm colocado o Ítaca sempre em ótima posição. Mérito da cooperação e da confiança de alunos, professores, pais, funcionários, coordenação, direção.

Inegavelmente, a análise desses rankings, sempre feita com seriedade pela equipe da escola – tem contribuído para aperfeiçoamentos. Mas o que realmente consideramos importante é que a regularidade dessa performance revela a coerência, a solidez e a continuidade de um trabalho que nunca se voltou só pra esse resultado, indo bastante mais além, em larga e profunda abrangência.

Por tudo isso, nossos muitos agradecimentos e parabéns aos alunos e professores!

7
novembro
2014
ÍTACA, poema de Constantino Kavafis

 

Se partires um dia rumo à Ítaca 
Faz votos de que o caminho seja longo 
repleto de aventuras, repleto de saber. 
Nem lestrigões, nem ciclopes, 
nem o colérico Posidon te intimidem! 
Eles no teu caminho jamais encontrarás 
Se altivo for teu pensamento
Se sutil emoção o teu corpo e o teu espírito. tocar
Nem lestrigões, nem ciclopes 
Nem o bravio Posidon hás de ver
Se tu mesmo não os levares dentro da alma
Se tua alma não os puser dentro de ti. 
Faz votos de que o caminho seja longo. 
Numerosas serão as manhãs de verão 
Nas quais com que prazer, com que alegria 
Tu hás de entrar pela primeira vez um porto 
Para correr as lojas dos fenícios 
e belas mercancias adquirir. 
Madrepérolas, corais, âmbares, ébanos 
E perfumes sensuais de toda espécie 
Quanto houver de aromas deleitosos. 
A muitas cidades do Egito peregrinas 
Para aprender, para aprender dos doutos. 
Tem todo o tempo ítaca na mente. 
Estás predestinado a ali chegar. 
Mas, não apresses a viagem nunca. 
Melhor muitos anos levares de jornada 
E fundeares na ilha velho enfim. 
Rico de quanto ganhaste no caminho 
Sem esperar riquezas que Ítaca te desse. 
Uma bela viagem deu-te Ítaca. 
Sem ela não te ponhas a caminho. 
Mais do que isso não lhe cumpre dar-te. 
Ítaca não te iludiu 
Se a achas pobre. 
Tu te tornaste sábio, um homem de experiência. 
E, agora, sabes o que significam Ítacas. 

Constantino Kabvafis (1863-1933) 
in: O Quarteto de Alexandria - trad. José Paulo Paz.

26
setembro
2014
AS ELEIÇÕES 2014 EM
DEBATE NO ÍTACA
postado sob cidadania, Ítaca, política

Corrupção, desafios de mobilidade urbana, crise da água, união civil homoafetiva e muitos outros temas foram discutidos no debate sobre as eleições 2014, na terça-feira, dia 23, entre os alunos do Ítaca e os candidatos e representantes de quatro partidos - PSOL, PT, PSB, PSDB (o outro partido convidado recusou o convite).

Os estudantes do Fundamental 2 e do Ensino Médio demonstraram grande interesse, com muitas perguntas, em um clima de cidadania e questionamentos pertinentes, fundamentados nos programas de governo de cada partido, bem como em análises, leituras e discussões prévias em aula. 

Compareceram ao debate o candidato a deputado federal pelo PSOL, Thiago Aguiar; o candidato a deputado estadual pelo PSDB, Paulo Mathias; o coordenador da campanha do PSB em São Paulo, Marcelo Peron; e o assessor político, militante do PT, Iuri Codas.

Com professor do Ítaca comandando a mesa, o debate foi divido em três blocos. No primeiro, os políticos responderam a três perguntas cada, com um tempo de cinco minutos para cada resposta. No 2º, os alunos formularam cinco perguntas com temas livres, com cinco minutos para as respostas. No 3º e último bloco, cada candidato teve dez minutos para as considerações finais e réplicas.

Ao final da atividade, os representantes dos partidos e os alunos mostraram-se muito entusiasmados pelo bom nível, a abrangência de temas e a articulação das ideias. Muitos alunos disseram-se emocionados ao exercerem seu direito de cidadão, questionando homens públicos, com precisão e educação.

Na sequência, houve uma simulação das eleições para Presidente da República e Governador de São Paulo, através de uma urna eletrônica online, disponível na internet. Em clima de festa cívica, alunos, funcionários e professores do Ítaca compareceram às suas “seções eleitorais”, já bem decididos quanto ao seu voto. Os resultados, apurados no mesmo dia, serviram depois para muitas conversas e comemorações ou certa decepção. Elementos da democracia… 

O Colégio agradece a disponibilidade e a transparência dos convidados e a sempre excelente disposição e seriedade dos alunos. 

9
junho
2014
Festa Junina 2014 – Carta aos ex-alunos que se formaram no Ítaca
postado sob Ítaca

Caros alunos:

1. Esse ano, os convites serão cartões eletrônicos;

2. Como nos anos anteriores, os convites para formados não serão cobrados;

3. Necessário que se manifestem por e-mail sobre a vinda, para que os convites (nominais a cada um) possam ser retirados por vocês/irmãos/pais aqui no colégio, até o dia 11/6, quarta-feira, ou

4. para que estejam disponíveis na portaria, no dia da festa (14/06 – das 17h às 22h).

5. Esperamos tê-los aqui!

Um abraço.

Equipe do Ítaca

26
maio
2014
Sábado, 31 de maio, das 14 às 18 horas.
Gritos e abraços da torcida!
postado sob Ítaca, música

Aulas de música fazem parte de nossa proposta. Trabalhos e aulas com música fazem parte de nosso fazer pedagógico. Alunos muito muito musicais fazem parte de nosso colégio. Assim, nada mais natural do que nascer um Festival de Música do Ítaca. E foi o que ocorreu, com uma primeira edição em 2012, com proposta bienal. Neste ano, portanto, tem mais.

Voltado para o EF2 e o EM, o Festival contempla, nos mais diversos gêneros musicais, as categorias de compositor e de intérprete, que se apresentam diante da exigente mas animada plateia e, especialmente, diante de um júri formado por profissionais da área. Os 1os e 2os colocados de cada categoria recebem prêmios, além de – como todos que se apresentam – gritos e abraços da sua torcida.

Além do prazer genuíno, mais um espaço para aprendizados...

7
maio
2014
Floorball: um novo esporte no Ítaca
postado sob esporte, Ítaca, Novidades

A ABF (Associação Brasileira de Floorball) em conjunto com a Escola de

Aplicação, da Universidade de São Paulo, está fazendo um projeto de difusão
do esporte em colégios da cidade de São Paulo.
O Colégio Ítaca, entre outras escolas privadas e públicas da cidade, está
recebendo equipamentos e treinamentos da ABF, para oferecer o esporte a
alunos de diversas idades.

O Floorball é uma modalidade de jogo criada na década de 1950, nos Estados
Unidos, como alternativa ao hóquei, que depende de saber patinar e é um
esporte muito violento. O novo jogo também nasceu como uma modalidade
coletiva, praticada em pista coberta e seu objetivo é colocar uma bola
plástica na baliza contrária ao respectivo time, usando-se um taco leve.
Ambas as equipas têm cinco jogadores de campo e um guarda-redes.


O primeiro campeonato de Floorball aconteceu em Michigan, EUA, em 1962. Em
poucos anos alcançou grande impacto também em outros países, adquirindo
características próprias, com aspectos técnicos e táticos que o diferenciam
do hóquei. O jogo chegou à Europa no final dos anos sessenta e, na década de
1970, os suecos desenvolveram o esporte, tornando-se desde então o país com
maior tradição na modalidade. A partir dessa época, começou a ser mais
difundido nos colégios e entre jovens esportistas do mundo todo, recebendo
diferentes nomes: Plasticbandy, Softbandy, Floorbandy, Innebandy,
Floorhockey, entre outros, para diferencia-lo bem do hóquei.  Finalmente
passou a ser chamado Floorball ou Unihockey.

Atualmente a modalidade é praticada em vários países no mundo, tais como,
Suécia, Austrália, Japão, Estados Unidos, Suíça, Alemanha, Brasil,
Argentina, Chile, Coreia, Rússia, entre outros, e conta já com 3.200 clubes
e mais de 250.000 jogadores licenciados em todo o mundo.Agora, o Floorball
acaba de ser aceito como membro provisório no GAISFO (Organização
Internacional de Modalidades Olímpicas), responsável pelas Olimpíadas e
pelos Jogos Mundiais. 

Pela sua fácil jogabilidade e falta de violência, o Floorball contagia
crianças, jovens, adultos, homens e mulheres, e a cada dia que passa
torna-se mais popular e interessante.


www.floorball.org
http://www.floorball.com.br
http://apfball.wordpress.com/historia-do-floorball/=

 

Abaixo, final mundial Suécia X Finlândia

28
março
2014
Golpe de 64 - programação do Ítaca

Imagens de trabalhos dos alunos

 

Pelo Brasil afora, este foi um mês de rememorar um período de nossa história: faz 50 anos que ocorreu o Golpe Militar que deu início a duas décadas, pelo menos, de ditadura no país.

No Ítaca, o projeto de relembrar esse período, entendê-lo e refletir sobre ele abrangeu o Ensino Fundamental I, o Ensino Fundamental II e o Ensino Médio. Foram aulas, debates, encontros, trabalhos de alunos, visitas a museus, depoimentos de quem viveu aquilo tudo, visando não só aos fatos de então, mas também a esta nossa sociedade hoje, passadas essas cinco décadas.

 

Veja a programação que fizemos na escola

 

EF 1 – Semanas de 17 a 31 de março – Resgate de Memórias

Alunos de 4º e 5º ano EF1 – ouviram depoimentos de pais, avós, parentes e conhecidos em geral

 

EF 2 – Semanas de 17 a 31 de março – Visita ao Memorial da Resistência com alunos do 7º ao 9º ano.

Houve leitura de textos e debates.

 

EM - O QUE RESTA DA DITADURA: 50 anos do Golpe Militar no Brasil

DIA 13/3 (5ª-feira): Exibição do vídeo 15 Filhos (Maria de Oliveira e Marta Nehring, 1996)
Aula da prof.ª Ciça Jorquera: Breve história do Golpe.

DIA 18/3 (3ª-feira): Exibição do filme Que bom te ver viva (Lucia Murat, 1989) 

DIA 21/3 (6ª-feira): Depoimento aos alunos de militante político à época. 

DIA 25/3 (3ª-feira): Conversa com os profs. Renato Izabela e Fernando  Vidal: Arte e Resistência.
Exibição de vídeos, imagens, músicas.

DIA 26/3 (4ª-feira):  Conversa com o prof. Maurício Costa: Exceção hoje.

DIA 28/03 (6ª feira) – Cine-debate sobre o filme “Zuzu Angel”, organizado pelo Grêmio do Ítaca, com a participação de alunos do EF2 e EM e ex-militantes políticos convidados. Debate sobre os aspectos da militância na época da ditadura e atualmente.

DIA 31/3 (2ª-feira): Mesa de discussão/análise/reflexão, com convidados: O que resta da ditadura?

19
março
2014
Olímpiada Brasileira de Astronomia e Aeronáutica - inscreva-se!

Mais uma vez, com o objetivo de proporcionar ao aluno uma oportunidade de conhecer melhor o seu domínio de astronomia, astronáutica e astrofísica, nosso colégio fará parte dessa olimpíada. 

Para participar é preciso:

• Fazer a sua inscrição com seu professor de Ciências ou Física o quanto antes, sendo o limite máximo dia 12/05.

• Realizar, se quiser, as atividades práticas que estão disponíveis no link: 

• Fazer a prova no dia 16/05, sexta-feira. O horário será agendado posteriormente.

Não é obrigatório que os alunos se preparem previamente para prova.

Maiores informações sobre o conteúdo da prova, provas e gabaritos anteriores ou curiosidades, acessem o site da OBA

Qualquer dúvida também pode ser conversada com seus professores.

Participe! É uma excelente chance de fazer uma prova de forma mais descontraída e sem obrigações de notas!

 

28
novembro
2013
Exame do Enem: mais uma vez, o desempenho dos nossos alunos foi muito bom.
postado sob Ítaca

As pontuações de nossas turmas, nesses anos todos de Enem, têm colocado o Ítaca sempre em ótima posição. Mérito da cooperação e da confiança de alunos, professores, pais, funcionários, coordenação, direção.

Inegavelmente, a análise desses rankings – sempre feita com seriedade pela equipe da escola – tem contribuído para aperfeiçoamentos. Mas o que realmente consideramos importante é que a regularidade dessa performance revela a coerência, a solidez e a continuidade de um trabalho que nunca se voltou só pra esse resultado, indo bastante mais além, em larga e profunda abrangência.

Por tudo isso, nossos muitos agradecimentos e parabéns aos alunos!

Equipe do Ítaca

25
novembro
2013
O Congresso da UBES acontece esta semana em Minas
postado sob cidadania, Ítaca, política

De 28 de novembro a 1 de dezembro próximos, será realizado o CONUBES – Congresso da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES), em Contagem, Minas Gerais. O Congresso elegerá a nova diretoria para a próxima gestão, além de debater como a entidade se posicionará em relação aos últimos acontecimentos no país, quais suas posições em relação à política do governo, etc.  A UBES – União Brasileira dos Estudantes Secundaristas – criada em 1948, é uma instância de participação dos estudantes de Ensino Fundamental 2 e Ensino Médio, na vida política do país e destacou-se em momentos politicos decisivos, trazendo a voz dos estudantes como participantes das decisões da nação.


Como funciona?
O congresso da UBES é aberto ao público, mediante inscrição, mas apenas os representantes das escolas, seus delegados, têm a responsabilidade de ir ao Congresso, com direito a voto.  O Ítaca tem direito a 1 delegado: cada escola elege 1 delegado para cada 1.000 de seus alunos, e o Ítaca, assim, enviará ao CONUBES 1 delegado, representante de uma chapa (“Juntos!”), formada por representantes do EF2 e EM.

A eleição no colégio ocorreu em 30/10 e teve a presença de 62% de alunos do EF2 e de 93% de alunos EM. O representante do Ítaca será Rui  S. R., do 2º EM.

Com apenas sete dias desde o início das inscrições para o 40º Congresso Nacional da União Brasileira dos Estudantes Secundarista, o Conubes, a marca de estudantes inscritos já atingira o número de 3.823 delegados de todo país. Estes estudantes já estão com seu pré-credenciamento liberado, para participar com direito a voz e voto no fórum máximo de deliberação da entidade.

 

Referências:

http://www.ubes.org.br
http://www.une.org.br/2013/09/40º-congresso-da-ubes-tem-record-de-inscricoes/

Espalhafatos  (impresso)

25
outubro
2013
PROGRAMAÇÃO DO "VIVENCIANDO AS CIÊNCIAS"
postado sob Ciências, Ítaca

 Será neste sábado, dia 26 de outubro, das 9h30 às 13h.

O Vivenciando as Ciências é um encontro composto de oficinas, palestras, painéis, exposições e demonstrações de experimentos feito por pais, professores e alunos do Ítaca, centrado nos temas das Ciências da Natureza e das Ciências da Mente.

Serão inúmeras atividades, algumas livres e abertas à participação de todos, porém outras necessitarão de inscrições (uma vez que terão um número limitado de participantes).

Programação das palestras, oficinas e demonstrações que necessitam de inscrições:

9h30
(P1) Palestra – Orientação profissional (pais e mães de adolescentes) – 1h00 – 25 pessoas

(O1) Oficina – A história de cada um (10 crianças EF1 acompanhas de pai ou mãe) – 1h00 – 20 pessoas

(O2) Oficina – Gastando energia brincando (4º ano em diante) – 1h30 – 20 pessoas

(O3) Oficina – Montagem de DNA (7º ano em diante) – 1h00 – 20 pessoas

(O4) Oficina – Astronomia (alunos de 1º a 3º EF) – 1h00 – 15 pessoas

 

10h
(O5) Oficina – Contação de histórias com objetos (livre) – 1h00 – 20 pessoas

(O6) Oficina – Confecção de animais marinhos (6 a 10 anos) – 30 minutos – 20 pessoas

(O7) Oficina – Gincana, o que é, o que é? (6 a 10 anos) – 30 minutos – 20 pessoas

(O8) Oficina – Composteira, minhocário e tambores (livre) – 50 minutos – 20 pessoas

(DE1) Demonstração de Experimento – A síntese do nylon 66 e Uma reação química ativada pela voz (livre) – 30 minutos – 20 pessoas

 

10h30
(P2) Palestra – Radiofármacos (EM/adultos) – 1h00 – 25 pessoas

(O9) Oficina – Confecção de animais marinhos (6 a 10 anos) – 30 minutos – 20 pessoas

(O10) Oficina – Gincana, o que é, o que é? (6 a 10 anos) – 30 minutos – 20 pessoas

(O11) Oficina – Os tentilhões de Galápagos (6º ano em diante) – 5 pessoas a cada 30 minutos

(DE2) Demonstração de Experimento – A síntese do nylon 66 e Uma reação química ativada pela voz (livre) – 30 minutos – 20 pessoas

 

11h
(O12) Oficina – Confecção de animais marinhos (6 a 10 anos) – 30 minutos – 20 pessoas

(O13) Oficina – Gincana, o que é, o que é? (6 a 10 anos) – 30 minutos – 20 pessoas

(O14) Oficina – Orientação profissional para alunos (EM) – 1h00 – 15 pessoas

(O15) Oficina – Você tem fome de quê? (8º ano em diante) – 1h30 – 20 pessoas

(O16) Oficina – Filho de scoiso, scoisinho é? (7º ano em diante) – 1h00 – 32 pessoas

(O17) Oficina – Astronomia (alunos de 4º a 6º EF) – 1h00 – 15 pessoas

 

 

11h30
(O18) Oficina – Confecção de animais marinhos (6 a 10 anos) – 30 minutos – 20 pessoas

(O19) Oficina – Gincana, o que é, o que é? (6 a 10 anos) – 30 minutos – 20 pessoas

(P3) Palestra – Ritmos naturais do nosso organismo (8º ano em diante) – 1h30 – 25 pessoas

(O20) Oficina – Abastecimento hídrico na cidade de SP (9º ano em diante) – 1h30 – 24 pessoas

(DE3) Demonstração de Experimento – A síntese do nylon 66 e Uma reação química ativada pela voz (livre) – 30 minutos – 20 pessoas

 

12h00
(O21) Oficina – Orientação profissional para alunos (EM) – 1h00 – 15 pessoas

(O22) Oficina – Filho de scoiso, scoisinho é? (7º ano em diante) – 1h00 – 32 pessoas

(DE4) Demonstração de Experimento – A síntese do nylon 66 e Uma reação química ativada pela voz (livre) 30 minutos – 20 pessoas

 

BREVE APRESENTAÇÃO DE CADA UMA DAS ATIVIDADES (PALESTRAS, OFICINAS E DEMONSTRAÇÃO DE EXPERIMENTO)

 

Palestras

P1
- Orientação profissional (Arthur Hoverter Facchini)
Uma conversa sobre orientação profissional com o foco nos pais e não nos filhos.

P2
- Radiofármacos
(Regina Célia Gorni Carneiro)
Os radiofármacos são medicamentos utilizados no diagnóstico e terapia de várias doenças. O IPEN (Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares) é responsável por 90% da demanda de radiofármacos do Brasil.

P3
- Ritmos naturais do nosso organismo
(Fernanda Amaral)
Os ritmos naturais do corpo e sua influência em nossas vidas. A importância do nosso relógio interno e as medidas simples que podem levar A reorganização das atividades diárias.

 

Oficinas

 

O1
- A história de cada um
(Ramona Barreto)
Porque contamos nossas histórias para o psicólogo.

O2
- Gastando energia brincando
(Cláudia Forjaz e Patricia Chakur Brun)
Demonstrar às crianças, adolescentes e seus pais como as brincadeiras podem contribuir ou não para o consumo de calorias das crianças.

O3
- Montagem de DNA
(Lucia Bonn e alunos do 2º ano EM)

O4/O17
- Astronomia
(Cláudia Mendes de Oliveira)
Para os alunos de 1º a 3º EF, brevíssima história da astronomia, desenhando constelações e possibilitando um olhar para objetos distantes usando a luneta.

Para os alunos do 4º a 6º EF, observação do sistema solar através de um sistema montado em escala.

O5
- Contação de histórias com objetos
(Pedro Paulino dos Santos)
A contação de histórias permite que a criança se aproprie de sua própria história de uma forma lúdica e também que reflita sobre o seu papel na vida, através das narrações.

O6/O9/O12/O18
- Confecção de animais marinhos com materiais recicláveis - 
(FUNDESPA – Fundação de Estudos e Pesquisas Aquáticas)

O7/O10/O13/O19
- Gincana, o que é, o que é?
(FUNDESPA – Fundação de Estudos e Pesquisas Aquáticas)

O8
- Composteira, minhocário e tambores
(César Pegoraro)
A atividade vai discutir o consumo, os resíduos e as soluções locais para os desafios do lixo.

O11
- Os tentilhões de Galápagos: o que Darwin não viu, mas os Grants viram
(Maria Cristina Arias)
Simular o que ocorre na natureza em relação à disponibilidade de recursos alimentares e às características morfológicas que possibilitam a utilização destes recursos. Possibilitar a compreensão de que o ambiente determina as direções da seleção.

O14/O21
- Orientação profissional para alunos do 1º e 2º ano do EM
(Arthur Hoverter Facchini)
Atividade interativa com adolescentes em fase de escolha de carreira/profissão.

O15
- “Você tem fome de quê?” – As drogas na contemporaneidade
(Ramona Barreto)
Problematizar o uso nocivo de substância psicoativa na atualidade, discutindo aspectos da cultura como incentivador desse uso (exemplos: individualismo, valorização dos objetos, valorização do corpo, entre outros).

O16/O22
- Filho de scoiso, scoisinho é? – Introdução à genética clássica
(Luis Netto e Lucia Bonn)
Introduzir noções básicas de genética, colocar os participantes em contato com a terminologia utilizada nessa área do conhecimento e discutir questões relacionadas aos processos que ocorrem durante a formação dos gametas e do zigoto. A atividade possibilita também que diferentes “receitas” de informação genética sejam relacionadas com a aparência do organismo.

O20
- Abastecimento hídrico na cidade de São Paulo – Um enfoque socioambiental
(Maria Lucia Bellenzani)
A proteção e regulamentação dos mananciais destinados ao abastecimento de água potável da metrópole.

 

Demonstração de Experimento

DE1/DE2/DE3/DE4
- A síntese do nylon 66
(Rosamaria Wu Chia e Jonas Grube)

 

 

22
outubro
2013
Medalhistas da Olimpíada Brasileira de Astronomia
postado sob Ciências, cultura, Ítaca

Novamente temos alunos medalhistas – 7 alunos!  
A organização da olimpíada classifica os alunos pela nota das provas, em nível nacional.

Os alunos que receberão medalhas são:

BRONZE Pedro  7º

BRONZE Guilherme  

BRONZE André  8º

BRONZE Leonardo  9º

BRONZE Luana  EM

PRATA Rui  EM

PRATA Gabriel  EM

Todos os participantes receberão certificado da OBA.

Para ter mais informações sobre a Olimpíada, clique aqui.

 

9
outubro
2013
15 de outubro é dia do professor. Quem inventou isso???
postado sob cidadania, cultura, Ítaca

Mestre não é quem sempre ensina, mas quem de repente aprende.
Guimarães Rosa

O Dia do Professor é comemorado em diversos países, em datas distintas. Aqui, é comemorado no dia 15 de outubro, pois foi nessa data, em 1827, que o então imperador D. Pedro I baixou um Decreto que criou o Ensino Elementar no Brasil. Esse Decreto estabelecia que "todas as cidades, vilas e lugarejos tivessem suas escolas de primeiras letras". E também tratava de outras questões relacionadas à educação escolar: descentralização do ensino, salário dos professores, matérias básicas que todos os alunos deveriam aprender e contratação dos professores. 

Cento e vinte anos depois, em 1947, na então sede do Colégio Caetano de Campos, na rua Augusta, 1520, em São Paulo, ocorreu a primeira comemoração do Dia do Professor: o período letivo do segundo semestre era muito longo, de 1 de junho a 15 de dezembro, com apenas dez dias de férias no meio; organizou-se, então, a comemoração, que foi bem aceita e teve presença maciça, inclusive dos pais. O  professor Salomão Becker, que havia sugerido a data de 15 de outubro, propôs que se mantivesse um encontro anual nessa mesma data, e proferiu a frase, que ficaria famosa: " Professor é profissão. Educador é missão". Com a participação dos professores Alfredo Gomes, Claudino Busko e Antonio Pereira, a ideia estava lançada e espalhou-se pela cidade e pelo país, até ser oficializada nacionalmente como feriado escolar, pelo Decreto Federal 52.682, de 14 de outubro de 1963, que proferia: "Para comemorar condignamente o Dia do Professor, os estabelecimentos de ensino farão promover solenidades, em que se enalteça a função do mestre na sociedade moderna, fazendo participar os alunos e as famílias".

 

fontes:

http://www.brasilescola.com/datas-comemorativas/dia-do-professor.htm
http://diadoprofessorportal.wordpress.com
http://pt.wikipedia.org/wiki/Dia_do_professor

fechar