.>
NOTÍCIAS
O QUÊ
assunto
QUANDO
2024
2023
2022
2021
2020
2019
2018
2017
2016
2015
2014
2013
Alguns conteúdos desta seção estão disponíveis apenas para quem estiver logado.
Caso tenha acesso, faça seu login aqui
postado sob 2022, EF1, Ítaca, teatro
+4

Assim foi a ida de professores, pais e estudantes do ensino fundamental I do Colégio Ítaca ao teatro, nos dias 12/13/14 de agosto. 

Inesperado, pois não imaginávamos a beleza do evento compartilhado. O espetáculo Ítaca conta a história de um náufrago e suas peripécias de sobrevivência, interpretada pelo ator Thiago Andreuccetti, que encantou com sua técnica e atuação crianças e adultos. No dia 12, houve um bate- papo muito rico com o ator da peça.

Por meio do universo do palhaço, numa espécie de língua inventada, a interação aconteceu durante toda sessão, com risos e comentários de uma plateia atenta e participativa.

Este ano, nosso Festival Literário - o Flítaca - traz como tema a Odisseia, de Homero, e nossa viagem começou muito bem, com a oportunidade de reunir para essa incrível apreciação teatral os nossos “cidadãos de Ítaca”.

foto reprodução
Niède Guidon
Foto Ruth Klotzel
fábrica de cerâmica
Foto Ruth Klotzel
fábrica de cerâmica
Foto Ruth Klotzel
fábrica de cerâmica
+58

A Ciência, assim como todas as áreas do conhecimento e da própria vida, está representada por mulheres incríveis, cujos trabalhos têm sido de extrema importância pra sociedade. É o caso da arqueóloga brasileira Niède Guidon, que se mudou na década de 1970 para São Raimundo Nonato, no Piauí, um lugar que tinha tudo pra ser apenas mais uma cidadezinha perdida nos rincões do Piauí, mas que hoje tem até faculdade de Arqueologia, em um campus que leva o nome da maior riqueza da região, a Serra da Capivara.

Enquanto ainda trabalhava na USP, no Museu do Ipiranga, Guidon ouviu falar, em 1963, dos sítios arqueológicos do interior do Piauí: uma pessoa da região apresentou imagens do que existia no local, que Niède acabaria visitando apenas em 1970, quando passou a estudar a região, conseguindo apoio financeiro do governo francês..

Em 1979, foi criado o Parque Nacional Serra da Capivara, para preservar vestígios arqueológicos da mais remota presença do homem na América do Sul. Sua demarcação foi concluída em 1990, e o parque é subordinado, hoje, ao Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). Por sua importância, a Unesco o inscreveu na Lista do Patrimônio Mundial, em 13 de dezembro de 1991, e também na Lista Indicativa brasileira, como patrimônio misto. Hoje, ainda, a FUMDHAM, entidade civil sem fins lucrativos, realiza atividades científicas interdisciplinares, culturais e sociais no parque.

O maior atrativo cultural do complexo são os registros rupestres pré-históricos, pintados ou gravados sobre as paredes e os afloramentos rochosos. Consideradas como formas gráficas de comunicação utilizadas pelos grupos pré-históricos que habitaram a região, abordam uma grande variedade de formas, cores e temas. Foram registrados abrigos sob rocha pintados com cenas de caça, sexo, guerra e diversos aspectos da vida cotidiana e do universo simbólico dos seus autores.

O Parque tem uma área de 130 mil hectares, com mais de 1300 sítios arqueológicos (o maior número de sítios arqueológicos das Américas). Existem também 2 museus importantes na região: o Museu do Homem Americano e o Museu da Natureza.
Além de ser um território de pesquisas, é um circuito turístico muito rico do ponto de vista natural e histórico. 

APROVEITE AS VISITAS VIRTUAIS:
http://fumdham.org.br/midias/midias-videos/

Referências
https://www.360meridianos.com/2021/03/niede-guidon-serra-capivara.html
http://portal.iphan.gov.br/pagina/detalhes/42
http://fumdham.org.br
https://revistapesquisa.fapesp.br/piaui-ganha-museu-da-natureza/

fechar