.>
11
abril
2018
A MAIOR BIBLIOTECA DIGITAL DO MUNDO

Há exatos 9 anos era lançada a Biblioteca Digital Mundial, projeto da Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura), com participação de 32 instituições internacionais, entre elas a Biblioteca Nacional do Brasil.

O projeto disponibiliza na Internet, gratuitamente e em 7 idiomas – árabe, chinês, espanhol, francês, inglês, português, russo –  dezenas de milhares de livros, imagens, manuscritos, mapas, filmes e gravações de bibliotecas em todo o mundo. Além dos idiomas contemplados nas traduções, os documentos também estão disponíveis em seu idioma original (quando for um dos 7 mencionados).

No topo da página de abertura, a ferramenta de busca indica que é possível pesquisar 19.147 itens sobre 193 países entre 8000 a.C. e 2000 d.c.

Os principais objetivos da Biblioteca Digital Mundial são:
•  Promover a compreensão internacional e intercultural;
•  Expandir o volume e a variedade de conteúdo cultural na Internet;
•  Fornecer recursos para educadores, acadêmicos e o público em geral;
•  Desenvolver capacidades em instituições parceiras, a fim de reduzir a lacuna digital dentro dos e entre os países.

A iniciativa do projeto foi do bibliotecário do Congresso Norte-americano, James H. Billington, que propôs a criação de uma Biblioteca Digital Mundial para a UNESCO.

Cronologia
• Dezembro de 2006: a UNESCO e a Biblioteca do Congresso copatrocinam uma Reunião de Peritos com as principais partes interessadas de todas as regiões do mundo. A Reunião de Peritos resulta em uma decisão de estabelecer grupos de trabalho para desenvolver normas e diretrizes para seleção de conteúdos.
• Outubro de 2007: a Biblioteca do Congresso e cinco instituições parceiras apresentam um protótipo da futura Biblioteca Digital Mundial, na Conferência Geral da UNESCO
• Abril de 2009: a Biblioteca Digital Mundial é lançada para o público internacional, com conteúdo sobre cada estado-membro da UNESCO.

Principais características
• Metadados consistentes: a descrição de cada item é feita por um conjunto coerente de informações bibliográficas (ou metadados) relativos à sua abordagem geográfica, temporal e temática, entre outros requisitos. 
• Descrição: entre as mais impressionantes características da Biblioteca Digital Mundial estão as descrições de cada item, respondendo às questões: "O que é este item e por que ele é importante?" Esta informação, escrita por curadores e outros especialistas, fornece um contexto essencial para os usuários e é concebida para incitar a curiosidade de estudantes e do público em geral.
• Multilingualismo: esta funcionalidade prolongou o desenvolvimento do site e também complica a manutenção, mas aproxima a Biblioteca Digital Mundial da meta de tornar-se realmente universal.
• Desenvolvimento técnico: a equipe da Biblioteca Digital Mundial, trabalhando com modernas ferramentas e tecnologias, obteve avanços significativos na catalogação e no desenvolvimento do Website multilingue:
Foi desenvolvido um novo programa aplicativo de catalogação adequado aos requisitos dos metadados.
Foi utilizada uma ferramenta centralizada com uma memória de tradução, o que evita que os tradutores tenham que traduzir a mesma palavra ou frase duas vezes.
Foi desenvolvida uma interface que apresenta o conteúdo da Biblioteca Digital Mundial de forma atrativa para usuários não tradicionais, incentivando a exploração de fontes primárias.
Novas tecnologias continuam a ser desenvolvidas, melhorando o fluxo de trabalho e reduzindo o tempo decorrido entre a seleção do conteúdo e a disponibilidade no site.
• Rede de colaboração: a Biblioteca Digital Mundial enfatiza a abertura em todos os aspectos do projeto: acesso aos conteúdos; transferência de tecnologia para a criação de capacidades; e a participação de parceiros, interessados diretos e usuários.

Consulte a lista atual de parceiros da Biblioteca, e navegue sempre por suas páginas!
ACESSE: https://www.wdl.org/pt/

Referências
http://www.bbc.com/portuguese/cultura/2009/04/090421_bibliotecavirtualdf_ba
https://nacoesunidas.org/biblioteca-digital-mundial-ja-esta-disponivel-na-internet/
http://www.educacao.sp.gov.br/noticias/conheca-a-biblioteca-mundial-digital-da-unesco/
https://jornalggn.com.br/blog/luisnassif/a-biblioteca-mundial-digital
http://noticias.universia.com.br/tempo-livre/noticia/2014/06/16/1099001/conheca-13-sites-gratuitos-bibliotecas-digitais.html
 

4
abril
2018
Aluno do Ítaca vence Copa Brasil de tênis de mesa
postado sob EM, esporte, Ítaca

Gustavo Kodama, aluno do 2º EM, estuda no Colégio Ítaca desde 2010, quando entrou no 3º EF. 

Ele compete em torneios nacionais de tênis de mesa há tempos e vem vencendo competições nacionais e locais importantes.

Desta vez, jogando na Copa Brasil de Tênis de Mesa, em Concórdia (SC), Gustavo ficou em 1º Lugar no Absoluto B e 3º Lugar no Rating C.

Quisemos registrar aqui, para divulgar não só seu talento como também a dedicação que o move (não só no esporte: a vida escolar tem também excelente qualidade). E a isso tudo acompanhamos, com muito respeito e admiração.

7
março
2018
Site criado por ex-aluna do Ítaca e 2 colegas trata da violência doméstica
postado sob cidadania, feminismo, Ítaca

Maria da Penha e sua luta contra a violência doméstica

Exemplo de mulher que vivenciou a violência doméstica, a farmacêutica cearense Maria da Penha deixou de ser parte da estatística e entrou nos livros de história, tendo deixado um legado no combate a esse tipo de abuso. Depois de anos em busca de justiça, ela conseguiu fazer com que a luta contra o abuso fosse reconhecida e recebeu uma lei em sua homenagem: a lei 11.340/06, popularmente batizada com seu nome. 

Prestes a completar 12 anos, a Lei Maria da Penha foi aprovada em agosto de 2006 e tem como objetivo criar mecanismos para coibir e prevenir casos de violência doméstica e familiar contra a mulher. 

Para conhecer mais sobre esse tema, acesse o site Entre Quatro Paredes, produzido pela nossa ex-aluna Juliana da Cunha Costa Santos e suas colegas, Carolina Moraes e Giuliana Saringer. A reportagem multimídia foi apresentada como Trabalho de Conclusão do Curso de Jornalismo da Faculdade Cásper Líbero, sob orientação do Prof. Jorge Roberto Tarquini. 

 

 

 

fechar