.>
Alguns conteúdos desta seção estão disponíveis apenas para quem estiver logado.
Caso tenha acesso, faça seu login aqui
postado sob 2022, EF2, Literatura
FOTO REPRODUÇÃO FJS

Comemorar o centenário de José Saramago é celebrar a Língua Portuguesa. A leitura de sua obra é um mergulho nas metáforas em prosa e também um convite a desvendar aquilo que parece óbvio.

Em "O conto da ilha desconhecida", obra que guia a exposição saramaguiana no Museu da Língua Portuguesa e que faz parte do programa de leitura dos alunos do 8º ano do Ítaca, temos um homem que vai à porta da casa de um rei e pede um barco para ir em busca de uma ilha desconhecida.  Aparentemente, trata-se de uma história comum, mas, durante a leitura da narrativa, o leitor vai percebendo as metáforas escondidas em palavras que pareciam simples. Que ilha é essa? Que barco é esse? Que porta é essa? 

Ir em busca da ilha é ir em busca dos símbolos, dos significados, das palavras de Saramago, autor responsável pela disseminação e pelo reconhecimento da grandiosidade da prosa em língua portuguesa no mundo.

Veja detalhes da exposição AQUI.

REFERÊNCIAS:
 https://www.josesaramago.org/centenario/
https://www.publico.pt/2022/05/06/culturaipsilon/noticia/estar-brasil-comemorar-saramago-lingua-portuguesa-acto-amor-2005124

Ocupação José Saramago
Entre maio e junho
Grátis
Saguão B do Museu da Língua Portuguesa 

Legados Saramaguianos
Entre maio e novembro 

Museu da Língua Portuguesa
Praça da Luz s/n – Luz – São Paulo 
De terça a domingo, das 9h às 16h30 (permanência até as 18h) 
R$ 20 (inteira), R$ 10 (meia) 
Grátis aos sábados 
Grátis para crianças até 7 anos 
Ingressos na bilheteria e pela internet


 

postado sob 2022, cinema, EF2
Pedro Lima, editor de som do filme
+1

No dia 02 de abril, sábado, realizamos mais uma linda sessão do projeto “Cinema com Professor”, em que assistimos ao filme Abe (Fernando Andrade, 2021). A obra trata da relação de um adolescente novaiorquino, filho de mãe judia e pai muçulmano, descendentes de israelenses e palestinos, com a comida. Abe conhece um chef de cozinha brasileiro, que o ajuda a perceber como a mistura e a complexidade de sua formação pessoal podem ser retratadas em sua cozinha e, em sentido inverso, como seus pratos o auxiliam a entender a complexa relação familiar que ele vive. 

Para a sessão, foram convidados os alunos de 8º e 9º anos, e também tivemos a participação especial do Pedro Lima, editor de som do filme e pai da Isabel, aluna do 8º ano. A discussão foi muito interessante e rica, e Pedro trouxe um pouco mais de sua experiência em pós produção e no trabalho com cinema, o que despertou muito interesse em nossos estudantes. Os professores também participaram, mediando e levantando outras questões, promovendo, assim, ótimas discussões entre todos, pais e mães, convidado, professores e estudantes.

Até a próxima sessão!

 

postado sob 2022, cultura, EF2
+5

No início do 7⁰ ano, nossos alunos e alunas se perguntam o que sabem sobre o continente africano e depois comparam o que disseram com diferentes fontes de informação: jornais internacionais, filmes, conteúdo de livros, entre outros. De acordo com essa pesquisa, a África é apenas um continente de  miséria, fome, tragédias, conflitos, grandes mamíferos e safaris. 

Essa investigação trouxe uma grave descoberta: carregamos e perpetuamos uma história estereotipada da África que pouco diz sobre esse continente, minimizando a existência de interesses profundos e diversificados sobre esse imenso território, berço de nossa espécie. 

Pouco sabemos sobre as culturas, as histórias e os modos de vida dos mais de 50 países africanos e temos muitas heranças e presenças da África em nosso cotidiano.  

Chocados com tal descoberta, os 7°s anos de 2022 se envolveram em uma intensa pesquisa sobre alguns desses países, com o objetivo de romper com esse circuito de informações estereotipadas. Se você também quer quebrar as histórias únicas, como denuncia a escritora Chimamanda Ngozi Adichie em seu TEDx "Os perigos da história única", veja os trabalhos desses alunos, AQUI.

fechar