.>
Alguns conteúdos desta seção estão disponíveis apenas para quem estiver logado.
Caso tenha acesso, faça seu login aqui

Os 13 dígitos estão agrupados em cinco blocos e cada um deles está separado do anterior por uma guia. Este número vem sempre precedido pelas siglas ISBN. Veja o significado de cada grupo:

  1. O primeiro é um número de 3 dígitos que identifica o livro como produto. Até hoje são usados os códigos 978 e 979.

  2. O segundo bloco, chamado de Identificador de grupo, identifica o grupo nacional, geográfico ou linguístico do editor. Ao Brasil, corresponde o número 85.

  3. O terceiro é o prefixo editorial, que pode identificar uma editora concreta ou ser um prefixo coletivo, como o outorgado aos autores-editores.

  4. o quarto corresponde ao Número de título, que identifica o título específico ou a edição de una obra.

  5. O quinto e último grupo corresponde ao Dígito de verificação. Consta de um só dígito, e garante a correta utilização de todo o sistema.

     

PARA QUE SERVE O ISBN

Criado inicialmente em 1967 e oficializado como norma internacional em 1972,
o ISBN - International Standard Book Number - é um sistema usado
mundialmente, que identifica numericamente os livros segundo o título, o
autor, o país e a editora, individualizando-os inclusive por edição.
O sistema é controlado pela Agência Internacional do ISBN, que orienta e
delega poderes às agências nacionais. No Brasil, a Fundação Biblioteca
Nacional representa a Agência Brasileira desde 1978, com a função de
atribuir o número de identificação aos livros editados aqui. 
A partir do número gerado é que se cria o código de barras que identifica
uma publicação (é exatamente aquele número que aparece junto do código de
barras). Esse número especifica o país, idioma, editora, publicação, etc.
Assim podemos saber de onde vem um livro e em qual idioma está escrito,
dependendo dos primeiros números do código antes do hífen (o código do
Brasil é 85).
A partir de 1º de janeiro de 2007, o ISBN passou de dez para 13 dígitos, de
modo a aumentar a capacidade do sistema, devido ao crescente número de
publicações, com diferentes edições e formatos. Essa é a diferença entre o
ISBN-10 e o ISBN-13.
Também existem outros códigos, tais como ISMN, para a música; ISAN, para os
filmes, games e meios audiovisuais; ISSM, para periódicos e revistas, e até
o ASIN, código que a loja virtual Amazon usa para identificar seus produtos.

Para mais informações, acesse o site da Agência Brasileira do ISBN:
http://www.isbn.bn.br/website/

Mais referências:
http://www.cbl.org.br
http://blog.ludoeducativo.com.br/o-que-e-o-isbn/=
http://www.bibliofiloenmascaradhttp://www.bibliofiloenmascarado.com/2010/12/23/el-isbn-se-privatiza-en-espana/o.com/2010/12/23/el-isbn-se-privatiza-en-espana/

fechar