.>
Alguns conteúdos desta seção estão disponíveis apenas para quem estiver logado.
Caso tenha acesso, faça seu login aqui
postado sob cidadania, cultura
+3

Não há nada para ver no Dialogue Museum, em Frankfurt, Alemanha: visitantes de Diálogo no escuro ( Dialogue in the Dark), descobrem o invisível.

Em 6 salas eles sentem o mundo pela perspectiva de quem não tem visão, guiados pela equipe de cegos do dark team. O ambiente ganha outra qualidade: confusos, contemplativos e impressionados, aqueles que têm visão aprendem a enxergar de outras maneiras.  Não há nada para ver, mas há muitas coisas para se ouvir, sentir, cheirar e sentir o gosto. Não se trata de uma simulação de cegueira e sim de uma aventura envolvendo quase todos os sentidos.
Com isso, o Dialogue Museum afasta a concepção negativa da deficiência visual, que é frequentemente associada a ignorância e falta de orientação.

No restaurante Taste of Darkness (Gosto da escuridão), visitantes precisam confiar apenas em suas narinas e línguas para distinguir qual é a delicia que está em seus pratos.  
Crianças, em geral, têm mais facilidade do que os adultos, sempre dispostas a descobrir coisas novas. As mais ordinárias situações tornam-se aventuras e, sem serem guiados por cegos, que caminham no escuro com a maior facilidade, os visitantes estariam completamente perdidos.No escuro, sua imaginação torna-se livre e tudo se converte em uma incrível experiência.

Nos workshops do museu, visitantes conversam com cegos e deficientes de maneira relaxada e podem falar sobre temas-tabu como cegueira, deficiências e discriminação social. 

De onde nasceu o projeto

A ideia de simular a cegueira partiu do alemão Andreas Heinecke, em 1989. Trabalhando como jornalista e escritor para uma empresa de radiodifusão na Alemanha, um dia, ele foi designado para organizar um treinamento para um jornalista de 28 anos que perdera a visão em um acidente de carro. Esse trabalho instigou-o a montar a exposição conceitual “Dialogue in the Dark” , que funciona como uma mudança de perspectiva entre pessoas com e sem deficiências. Esse projeto cresceu, teve muito sucesso e rodou por vários países na Europa, Asia e Américas. 
O Dialogue Museum abriu suas portas em Frankfurt, em novembro de 2005, sob a direção de sua co-fundadora, Klara Kletzka.
 
A exposição Diálogo no escuro chega agora a São Paulo e abre suas portas no dia 22 de agosto.
Vale a pena descobrir e explorar essa nova aventura!

Visitem:
Exposição Diálogo no Escuro - Unibes Cultural - R Oscar Freire, 2500, São Paulo, ao lado do Metrô Sumaré. 
De 2a a sábado, das 10 às 19.

Veja info no site e Facebook:

http://www.dialogonoescuro.com.br
https://www.facebook.com/dialogonoescuro

Referências:
http://dialogmuseum.de
http://www.dialogue-in-the-dark.com
http://g1.globo.com/bahia/noticia/2012/09/exposicao-no-escuro-proporciona-ao-publico-experiencia-de-nao-enxergar.html
http://dialogocampinas.blogspot.com.br

fechar